Ponto Vermelho
Estamos a chegar ao fim…
20 de Maio de 2016
Partilhar no Facebook

1. Logo à noite teremos o último desafio do Benfica referente à final da Taça da Liga com o Marítimo na Luso-Atenas e, no Domingo, a temporada oficial será encerrada com a disputa da final da Taça de Portugal no palco do Jamor que irá opôr o SC Braga ao FC Porto. Duas disputas que prometem ou não se tratasse de finais, sendo que para os maritimistas, bracarenses e portistas será a última chance de poderem conquistar um troféu. No caso dos portistas é ainda mais premente, na medida em que o seu desempenho em todas as outras provas em que participaram saldou-se por um completo e rotundo fiasco.

2. Muito se tem falado e escrito sobre o Benfica com opiniões muito diversificadas e que, numa análise às performances da época, divergem de maneira muito profunda, o que é aliás natural se levarmos em linha de conta a natureza dos escribas, os antagonismos, os objectivos e os interesses subjacentes. A tudo isso a estrutura mais directamente ligada à equipa e o próprio plantel reagiram da melhor forma possível com a blindagem do balneário e a imunização às críticas bastas vezes soezes que vinham do exterior com o intuito claro de desestabilizar.

3. Está por apurar o efeito das intensas e prolongadas manifestações de regozijo e de exaltação que se seguiram à conquista do tri, sendo que, como é natural, as opiniões diverjem. Há quem aponte a excessiva exposição dos jogadores que lhe propiciará algum desgaste e desfocagem adicionais, e quem refira que o grau de profissionalismo que atingiram e em que navegam os torna imunes a qualquer obstáculo nos objectivos que perseguem. Todavia o que se seguiu faz parte do ritual de épocas anteriores em que, como se viu, não causou mossa. Uma coisa é certa; os adeptos que tanto puxaram pela equipa em todas as circunstâncias, justificaram e mereceram amplamente as atenções e as manifestações de carinho protagonizadas pelos jogadores e demais estrutura.

4. Na antevisão dir-se-ia que será um jogo diferente do recentemente disputado no Funchal. Mesmo pondo de parte o lugar-comum de que não há dois jogos iguais, temos que as características do desafio de hoje são outras, porventura bastante diferentes. Desde logo porque se trata da final de uma prova, com uma atmosfera galvanizadora a rodear o encontro, e em que, o Marítimo acalenta a legítima esperança de levar para a Madeira o título em disputa. Não sendo favorito, esse pode constituir um factor deveras importante, sendo que o eventual arrastar dos minutos com o jogo empatado é um trunfo que não pode ser menosprezado e que pode jogar a seu favor.

5. Mas, do outro lado, está um Benfica que já deu suficientes provas esta época de que, mesmo com resultados adversos, continua sempre a perseguir até ao derradeiro apito do árbitro o objectivo de vencer todos os jogos e todas as provas. E, também, passa por uma importante força anímica que lhe advém de ter conquistado grande parte dos seus principais objectivos, contra os vaticínios de muitos. Talvez se possa dizer até que isso foi em larga escala conseguido devido à sua preocupação exclusiva de olhar apenas e só para si próprio, concentrando-se no que tinha que fazer. Por tudo isso acreditamos que o Benfica vai encerrar a época com mais uma conquista. Mas isso, estando longe de ser favas contadas, tem que ser, mais uma vez, demonstrado dentro do campo, onde afinal de resolvem todas as contendas…










Bookmark and Share