Ponto Vermelho
Passo a passo...
15 de Abril de 2013
Partilhar no Facebook

Mau grado o derby dos derbies só ter lugar no próximo Domingo, tem-se notado um esforço de vários quadrantes em colocá-lo no topo da actualidade como se ao longo da semana e em particular nos últimos dias não houvesse tempo para o fazer. E nem a disputa da Taça da Liga que acabaria sempre por dar lugar a um vencedor-virgem do troféu em disputa, demoveu os espíritos ansiosos de lançar as primeiras farpas sobre o derby numa tentativa de começar a agitar as águas que têm estado calmas.

Realizada a final no Sábado da Taça da Liga com os bracarenses a arrecadar a vitória e a propiciar um regresso triunfal à cidade dos arcebispos devido à conquista do primeiro troféu a nível nacional após o longínquo triunfo de 1966, o contraste deu-se com a chegada abúlica da equipa do FC Porto ao Dragão que deu origem à cada vez mais habitual contestação da franja de portistas mais radicais. Para além da estrada de Vítor Pereira se estar a encurtar cada vez mais, de relevante mesmo foi não termos assistido desta vez, a qualquer expressão de fina ironia. Como os tempos mudam…

Também antes, na sequência da maratona de jogos que o Benfica está a disputar (o que é bom sinal como é evidente), segue-se já hoje a 2ª mão das meias-finais da Taça de Portugal com o Paços de Ferreira actual 3º classificado. De novo volta a acontecer disputar o 2º jogo passados 75 dias, uma situação que do nosso ponto de vista não faz o mínimo sentido para qualquer dos clubes em presença e para o interesse da prova. Não será possível à FPF e à Liga encontrarem abertas no calendário para que seja possível realizar as meias-finais dentro de uma sequência normal?

É que, caso venha a prevalecer a ideia sem nexo de alargamento a 18 clubes e passando a haver mais jornadas, qualquer dia os principais clubes são obrigados a disputar jogos em dias seguidos para satisfazer a clientela… Seja como for e pelo menos mais este ano, a sequência de jogos a perder de vista vai-se manter inalterável, pelo que se torna necessário encarar isso de frente. E será certamente isso que o Benfica e o Paços de Ferreira irão fazer com todo o empenho e dignidade respeitando a histórica prova.

O resultado da 1ª mão obtido pelo Benfica na Capital do Móvel torna a missão dos pacenses muito espinhosa como aliás reconheceu o seu jovem treinador que está obviamente mais focalizado na possibilidade de manter o 3º lugar que lhe dará acesso à pré-eliminatória da Champions. Não sendo esse de nenhum modo o seu ponto de partida, a sequência de bons resultados e a conjuntura têm dado origem a um alimentar de esperança dos pacenses que a 5 jornadas do fim vislumbram no horizonte essa possibilidade, ainda que o SC Braga cliente dos últimos anos lhe esteja a morder os calcanhares. Sendo assim esse será o seu foco principal, sem que rejeitem qualquer hipótese hoje caso a possibilidade se venha a apresentar. Não sendo o mais admissível, é ainda assim uma situação que em futebol nunca pode ser rejeitada.

Já no tocante ao Benfica os objectivos estão definidos desde a primeira hora, embora a Liga Europa tenha sofrido um ligeiro ajustamento, pelas mesmíssimas razões do Paços de Ferreira em relação ao campeonato: – de conjuntura. A Taça de Portugal até por razões pessoais que Jorge Jesus já explicou publicamente assume particular relevância, para mais quando os encarnados estão à beirinha de poder chegar ao Jamor. Oito longos anos separam o Benfica da última conquista, pelo que não quererá disperdiçar esta soberana oportunidade de chegar a mais uma final.

Há quem tenha chamado à colação o ocorrido na época de 2010/2011 em que se verificaram dados algo similares (vitória do Benfica fora por 2-0 na 1ª mão). Foram de facto situações muito diferentes, desde o adversário passando pelo estado futebolístico da equipa encarnada em que até a sua situação anímica actual não tem comparação. Desta vez e nunca pondo de lado qualquer surpresa sempre susceptível de poder acontecer, estamos em crer que se o Benfica partir para o jogo como se ele estivesse empatado, as hipóteses de vencer e ultrapassar mais facilmente a eliminatória será o facto mais crível e mais lógico de acontecer. Sem menosprezo para a excelente equipa do Paços que tem uma estrutura consolidada e um futebol agradável e eficaz.

Ao Benfica pede-se que esteja apenas concentrado neste jogo que é o próximo e dá acesso à primeira final da época. O seguinte é só no Domingo e a despeito de ser com o eterno rival não deve para já merecer qualquer abordagem porque isso pode dar origem à desconcentração que por norma tem efeitos colaterais perigosos. O lema que tem vindo a ser seguido pela estrutura tem sido o de unicamente pensar no próximo jogo e os resultados têm sido por via disso positivos, pelo que assim deve continuar. Passo a passo…




Bookmark and Share