Ponto Vermelho
4 dias decisivos
24 de Abril de 2013
Partilhar no Facebook

Com a ultrapassagem da final com os nossos eternos rivais e que tem sido motivo de falatório desde então derivado de questões relacionadas com a arbitragem com particular destaque para os portistas apesar de não terem estado envolvidos, mais duas finais se aproximam a todo o vapor. Com uma particularidade importante: é que estas duas, no espaço curtíssimo de 4 dias poderão vir a determinar se a época tende a ser única e vitoriosa ou se, pelo contrário, estes dois jogos comprometerão as fundadas expectativas de todo o grupo de trabalho e dos adeptos e simpatizantes.

Já amanhã, no tão proclamado inferno de Istanbul perante o Fenerbahçe, o Benfica medirá forças numa das meias-finais da Liga Europa. Não vai ser fácil a tarefa que o espera, dado que o clube turco galvanizado pelo facto de ter atingido esta fase adiantada da prova e com legítimas expectativas de vir a atingir a final que constituiria um marco importantíssimo na sua história, está disposto a dar o tudo por tudo agora que começou a ver esvair-se a possibilidade de ser campeão do seu país. Logo, também por isso, irá apostar tudo na Liga Europa porque sabe que nada tem a perder. Pelo contrário, só tem a ganhar.

Nos últimos anos as equipas turcas têm conseguido alguns bons resultados na Europa a que certamente não será alheia a capacidade financeira que lhes tem permitido adquirir jogadores de gabarito que têm ajudado a elevar o nível do futebol turco. São conhecidas as principais dificuldades dos clubes que visitam a Turquia que assentam basicamente na garra e pundonor que os jogadores das suas equipas empregam nas suas prestações, conjuntamente com o apoio exacerbado a roçar mesmo o fanatismo dos seus adeptos que já tem feito várias vezes mossa nos adversários menos preparados para este tipo de ambientes.

Não será propriamente o caso do Benfica, mas por mais que os seus jogadores e técnicos desvalorizem aquele último factor, a verdade é que a influência nos jogadores do Fenerbahçe será sempre um factor importante a reter. Mas também é certo que a esmagadora maioria dos jogadores encarnados que amanhã entrarão no relvado do Sukru Saraçoglu estão habituados a ambientes difíceis por já os terem enfrentado ao serviço dos encarnados e também ao serviço das suas Selecções. Como ainda hoje bem lembrou Nico Gaitán, o ambiente que se vive no La Bombonera em Buenos Aires sobretudo em dérbies, quase nada ficará a dever ao que amanhã se irá viver em Istambul.

Aliás, se os encarnados querem aceder à final terão que estar preparados para todo o tipo de ambientes mesmo os mais adversos e demonstrar a razão do porquê de terem chegado até aqui. Estamos certos que o jogo terá sido bem preparado pela equipa técnica, e os jogadores que subirem ao relvado tudo farão para trazerem um resultado positivo que lhes permita ultrapassar a eliminatória na 2ª mão na Luz. Mas, não há lógica que resista sempre que as aleatoriedades do futebol fazem a sua aparição e um erro ou uma falha nos momentos iniciais poderão tornar o jogo muito complicado. Daí que seja necessário entrar com a maior concentração que deverá ser mantida ao longo de todo o desafio para que não surjam surpresas desagradáveis.

Poderá ser mera impressão nossa de treinadores de bancada, mas temos notado que na maioria dos últimos jogos (europeus e nacionais), a equipa entra algo apática e desconcentrada, com os laterais (sobretudo Melgarejo) muito adiantado o que tem dado origem a alguns buracos no sector que medeia entre o espaço ocupado por aquele lateral e o central Garay que ao deslocar-se para fazer a dobra abre uma via à entrada dos avançados contrários. E quando do outro lado estão adversários velozes e de boa capacidade técnica, os problemas aumentam em catadupa criando muito perigo para a baliza encarnada, sendo que já aconteceram alguns golos por via disso.

O actual estado da equipa é de molde a que possamos ter confiança no seu desempenho. E o trajecto que tem tido nas várias competições esta época (se exceptuarmos a Champions onde teve uma prestação insuficiente) tem revelado que a equipa está confiante, moralizada e preparada para enfrentar duras batalhas, pelo que confiamos nos tragam as alegrias que há muito ansiamos e merecemos. Na primeira final de amanhã estamos esperançados que o Benfica vai ser capaz de ser ele próprio e trazer para Lisboa um resultado animador. Mas mais do que isso, preocupa-nos de algum modo o desgaste a que os jogadores vão estar sujeitos, sabendo-se que já na 2ª feira teremos uma difícil deslocação aos Barreiros que será determinante no nosso objectivo final – a recuperação do ceptro de campeão. Os dados estão pois lançados e agora é confiar em todo o grupo de trabalho que certamente saberá estar à altura.






Bookmark and Share