Ponto Vermelho
Benfica-Fenerbahçe
2 de Maio de 2013
Partilhar no Facebook

Liga Europa - Meias-Finais - 2ª Mão
Estádio da Luz, 2 de Maio de 2013, 20h05

Árbitro Principal: Stéphane Lannoy-França
Árbitros Assistentes; Frédric Cano e Michael Annonier

BENFICA (Titulares): Artur, Maxi Pereira, Luisão (cap), Garay, André Almeida, Matic, Enzo Pérez, Salvio, Gaitán (90+2m), Lima e Cardozo (Urreta 87m)
BENFICA (Suplentes): Paulo Lopes, Roderick, Aimar, Urreta, Melgarejo, Carlos Martins e Rodrigo

Cartões Amarelos: 2: Maxi Pereira 28m e Enzo Pérez 34m
Cartões Vermelhos: 0

Resultado final: 3-1. Marcadores: 1-0 Gaitán 9m; 1-1 Kuyt 23m (pen); 2-1 Cardozo 35m e 3-1 Cardozo 66m. Agregado: 3-2. Apurado para a final: Benfica

Nenhuma dúvida que o Benfica como equipa era superior ao Fenerbahçe. O jogo da 1ª mão tinha deixado no ar algumas dúvidas que precisavam de ser esclarecidas no 2º jogo, sempre com o máximo de respeito pelo adversário que se previa complicado face ao resultado em Istambul.

Com Amesterdão ali tão perto, aguardava-se uma boa prestação do Benfica perante o seu público que correspondeu ao apelo e apareceu em muito bom número ultrapassando os 55.000 espectadores, dando azo a uma atmosfera festiva e galvanizadora.

Mal o encontro se iniciou o Benfica assumiu as rédas do jogo e começou cedo a demonstrar que estava ali para ultrapassar a eliminatória. Se o ia fazer ou não era uma 2ª parte da questão. Muita posse de bola, boa dinâmica e com bom acerto nos passes, os encarnados começaram a dominar o jogo e a confundir a defesa turca que se ia safando como podia. Logo aos 3’, grande atrapalhação na área do Fenerbahçe com a defesa a aliviar atabalhoadamente.

No minuto 5’ o primeiro sinal de muito perigo. Cardozo trabalha bem a bola, remata ainda que sem muita força e Demirel a defender junto ao poste. Os jogadores encarnados exerciam grande pressão sobre a bola e o Fenerbahçe sentia dificuldades em sair da sua zona defensiva. Aos 8’ Lima dentro da área quase faz o golo, mas a bola acaba por ficar presa nos pés de um defesa turco e o perigo acabou por passar.

Mas no minuto seguinte o Benfica chegaria ao golo. Lance de envolvimento na direita, Lima cedeu a bola a Nico Gaitán que de primeira rematou com o pé esquerdo a meia altura para o poste mais distante batendo Demirel. Estava, aparentemente, resolvido o mais difícil. O Benfica mantinha a mesma atitude e os turcos defendiam-se como podiam, tentando o contra-ataque com lançamentos para Sow que se revelava um avançado dinâmico e perigoso.

Aos 15’ disputa de bola aérea entre o central Luisão e o mesmo Sow com choque de cabeças de que resultaria os dois ficarem lesionados. Não constituiria contudo problema de maior e rapidamente voltavam ao jogo. Os jogadores turcos iam denotando aqui e ali alguma rudeza na abordagem dos lances, dado que o Benfica mantinha uma toada atacante constante,

Aos 22’ jogada de ataque do Fenerbahçe pelo lado direito, a bola é cruzada para Sow que se encontrava no interior da área benfiquista em posíção de fora de jogo, a bola ressalta na mão de Garay que se encontrava em desequilíbrio e o árbitro apontou para a marca da grande penalidade, perante os protestos dos jogadores benfiquistas. Chamado à marcação, Kuyt rematou rasteiro para o lado direito de Artur que se lançou para o lado contrário. Estava restabelecido o empate tornando tudo mais difícil para o Benfica que agora teria de marcar mais 2 golos e não sofrer nenhum.

O jogo prosseguia no mesmo ritmo com o Benfica agora com mais dificuldades mas a acreditar que seria possível dar a volta ao jogo. Mas o Fenerbahçe estava agora mais tranquilo e os seus adeptos aproveitavam para se manifestar. Para além da maioria dos adeptos que se encontrava na caixa de segurança, havia franjas em vários locais das bancadas e acabou por haver algumas escaramuças sem consequências de maior. Passava o minuto 27.

Aos 29’ ao travar em falta uma saída para o contra-ataque, Maxi Pereira vía um cartão amarelo e caso o Benfica se apurasse, o uruguaio ficaria de fora. Ultrapassada a meia-hora, num lance típico de Cardozo este rematava forte mas a bola acabava por sair rente ao poste. Aos 32’ na sequência de um canto, grande confusão na área turca mas o lance gorou-se.

Enzo Pérez via o 1º cartão amarelo 34’, mas no minuto a seguir o Benfica desfazia de novo a igualdade. Cardozo à entrada da área trabalha bem e remata rasteiro ao canto sem hipóteses para Demirel. No minuto 40 o holandês Kuyt rematava à rede lateral, num lance com muito perigo e no minuto seguinte era a vez de Matic rematar forte mas a bola saiu por cima do travessão. E chegava o intervalo com o Benfica a precisar de marcar mais um golo para ser apurado.

O recomeço não trazia grandes novidades, e o Benfica continuava a procurar marcar mais um golo. No minuto 57 Gaitán tenta o cabeçeamento mas acaba por atingir Gonul que saiu muito maltratado do lance. Jogo interrompido, muita preocupação, com o jogador a sair de maca para o hospital. Momento de solidariedade com o público de pé a aplaudir o momento azarado do jogador turco.

Aos 62’ bom lance de Gaitán que endossa a bola a Lima que falhou. Aos 66’ o Benfica estava apurado. Lançamento lateral de Salvio, toque de bola do capitão Luisão para Cardozo que marcaria o 2º golo.

Aos 72 jogada de Lima pelo lado esquerdo, entrou na área e rematou à figura de Demirel quando poderia ter dado para Cardozo que se encontrava em boa posição para marcar. Aos 76 é a vez de Matic cair na área mas o árbitro manda seguir. Aos 79’ remate forte de Stoch do lado esquerdo a obrigar Artur a aplicar-se.

Dois minutos depois penalty claro contra Fenerbahçe por mão dentro da área a que o árbitro faz vista grossa. Nesta altura com o tempo a escoar-se os turcos sempre que tinham a bola tentavam os lançamentos longos para a área do Benfica. Bem a defesa encarnada a cortar todos os lances.

Com o árbitro a conceder 5 minutos de descontos, sofria-se nas bancada das Luz porque um golo dos turcos nesta altura deitaria tudo a perder. Mas a equipa foi-se aguentando, até porque os turcos não demonstravam discernimento suficiente para criar perigo. Mas um golo pode surgir em qualquer altura e daí o receio que se desvaneceu pouco depois com o árbitro a dar por findo o encontro, com a natural alegria no relvado e nas bancadas. O Benfica, 23 anos depois, estava numa final europeia.

No final do encontro e ainda não refeito das emoções, Jorge Jesus considerava histórica a presença do Benfica na final e sublinhava a justiça e o trajecto que tinham feito na Liga Europa, considerando que encontrou equipas mais fortes como o Bayer Leverkusen e o Newcastle. O adversário de hoje não tinha tido argumentos.

Comentário Final: Aguardava-se que o Fenerbahçe criasse dificuldades. Ao entrar em vantagem na eliminatória a sua postura seria a de tentar jogar com forte pendor defensivo e explorando o contra-ataque. Mas a entrada forte do Benfica culminada com a abertura do marcador terá baralhado as contas aos turcos que ainda assim reagiram e chegaram à igualdade num lance de alguma dúvida, tornando a repor as coisas no mesmo patamar.

Mas o Benfica não se desuniu, continuou a sua toada atacante e chegaria ao 2º golo merecido ainda antes do intervalo. No recomeço tudo se manteve inalterável com os encarnados a procurarem insistentemente o golo que lhe daria a passagem para Amesterdão, os turcos não mostravam argumentos e só o árbitro ia aguentando o resultado tangencial.

Quando o Benfica por fim conseguiu o tão almejado golo, percebeu-se que só um cataclismo impediria o Benfica de estar na final, até porque os encsrnados defendiam bem e não descuravam a possibilidade de continuar a atacar e podiam inclusivamente ter marcado mais golos. Em resumo, vitória justa e categórica do Benfica que mereceu amplamente ter chegado à final.

O Benfica foi durante todo o jogo uma equipa muito unida, trabalhou muito e mereceu amplamente a vitória e a alegria de estar em Amesterdão. Todos os jogadores estiveram em grande plano, pelo que seria injusto destacar alguém apesar de Cardozo ter marcado dois golos e Matic ter enchido o campo.

Para arbitragem do francês Lannoy apenas duas palavras: um desastre!














Bookmark and Share