Ponto Vermelho
A entrevista de Jesus
5 de Julho de 2013
Partilhar no Facebook

Mal constou que Jorge Jesus (JJ) iria dar uma entrevista mais alargada à Benfica TV, de imediato começaram a chover as críticas que se acentuaram pelo facto do entrevistador ser nada mais nada menos do que o Administrador da SAD José Eduardo Moniz (JEM) que por acaso não tem experiência nenhuma nesse campo... Mesmo antes de saberem o enquadramento da entrevista, os temas a abordar ou as respostas do actual treinador do Benfica, várias foram as vozes que começaram a criticar não se percebe bem o quê e à luz de quê.

Esse tipo de procedimento é uma das facetas reveladoras do carácter de muitas pessoas, que preferem a política da terra queimada para fazerem prevalecer as suas orientações inviezadas e doentias. Tudo serviu para denegrir; atestado de incompetência aos jornalistas da Benfica TV, incompreensão por ser um Administrador da SAD a entrevistar um subordinado, impossibilidade de serem colocadas questões sensíveis por se tratar de uma conversa em família em que tudo estava previamente combinado, etc, etc. Como se JEM a regressar temporariamente à sua velha condição de jornalista alguma vez se prestasse a esse tipo de cinzentismo jornalístico...

Quem conhece essa forma de JEM exercer a profissão que o notabilizou, sabe que ele, por uma questão de feitio e pela experiência de muitos anos costuma ser incisivo nessa área que tão bem conhece. E para avivar memórias relembramos uma entrevista que ainda na RTP 1 fez ao então árbitro Francisco Silva... Esta forma com que estamos a abordar esta questão específica não nos impede nem impediu de termos discordado dele em várias ocasiões e inclusivamente o termos criticado. Uma coisa não invalida a outra. O que tentamos não fazer é de repente mudar de campo apenas e só porque de crítico de LFVieira passou a integrar uma Direcção por ele presidida.

Nesse sentido e por esse lado estávamos descansados porque calculávamos que iria colocar questões incómodas a JJ que qualquer adepto ou simpatizante gostaria de formular, com a devida ressalva que algumas envolvendo matérias sensíveis da vida interna do clube não poderiam, como é óbvio, ser abordadas em detalhe, embora haja muita gente que não consegue enxergar isso. Desse ponto de vista consideramos que para entrevista no órgão televisivo do clube e envolvendo exclusivamente gente do clube, as perguntas formuladas excederam as nossas expectativas e estariam bem enquadradas numa qualquer televisão generalista.

Já estávamos mais pessimistas quanto às respostas e aos esclarecimentos devidos por JJ à opinião pública em geral e ao universo benfiquista em particular. Devido às suas características comunicativas, à sua reconhecida dificuldade de construção e síntese que leva por vezes quem o ouve a fazer juízos e interpretações incorrectas do que pretende transmitir e, finalmente, porque as conclusões das duas pretéritas temporadas sobretudo da última, foram inexplicáveis. Explicar Amesterdão e o Dragão de facto seria quase tarefa impossível, mas entendemos que o Jamor justificava uma explicação mais alargada por ter danificado de algum modo a imagem do Benfica dentro e fora do campo. A questão apesar de aflorada ficou por aí...

Haverá certamente por aí alguns profissionais da escrita que devem ter ficado desiludidos por, desta vez, e ao contrário do que seria expectável, JJ não ter, dada numa de fanfarrão e prometido o título, a despeito de ter vincado a necessidade de o futebol praticado pelos encarnados dever começar a ter a devida correspondência em títulos, única via para muitos de demonstrar superioridade sobre os outros concorrentes. E até porque já vai sendo altura... Aí demonstrou que terá aprendido com os erros do passado, dado que nem os títulos estão já à venda em supermercados e nem sempre podem cair do céu aos trambolhões como aconteceu na época passada.

Nesse capítulo a entrevista deverá ter sido uma tremenda desilusão para alguns que esperavam certamente que JJ apresentasse a prova lavrada em Cartório Notarial em como o título era garantido pelo Benfica na próxima época... Lirismo à parte, é indiscutível a importância que a próxima temporada terá para o universo Benfica. Mantemos que não irá haver acréscimo de pressão por isso, muito embora não tardemos a ter a nota dos habituais futurologistas a prever terríveis consequências face ao horizonte negro das 5 primeiras jornadas do campeonato... Onde achamos que JJ não soube ou não quis desfazer dúvidas foi na referência a Cardozo. É óbvio que é um dossier que está com LFV. Mas não podia ter sido mais explícito até para clarificar melhor o que tem sido divulgado na imprensa como sendo de sua autoria? E se por hipótese nenhum clube atingir o patamar dos 15 milhões que passam por ser uma exigência de LFV? De resto nada de novo...






Bookmark and Share