Ponto Vermelho
Indefinições
2 de Agosto de 2013
Partilhar no Facebook

Prossegue com alguns sobressaltos nesta pré-época a preparação do Benfica. Prioridade para a integração dos novos elementos contratados que coincide com a implementação/ajustamento de novas nuances tácticas perante a eminência da saída de Óscar Cardozo a qualquer momento, e não existir no plantel nenhum outro jogador com as suas características. Uma situação particular que tem vindo a arrastar-se e tem provocado um enorme desgaste em todos os intervenientes de um processo que já esteve várias vezes quase, quase… mas em que surge sempre mais um detalhe para ultrapassar provocando a actual situação de impasse. Mas nos negócios é preciso ser firme e perseverante para se obterem os resultados pretendidos que contrastam com o desejo e urgência dos principais interessados de verem tudo resolvido o mais rápido possível.

Diga-se a propósito que esta fase da temporada tem sido fértil em episódios nem sempre agradáveis e que têm propiciado bons argumentos para a especulação com que alguns se deleitam. Isso não é propriamente das coisas mais agradáveis para o universo encarnado onde há sempre gente crédula que acredita piamente em qualquer patranha promovida a furo jornalístico por qualquer pasquim que se preze. Sabendo-se o que por norma a casa gasta, justifica-se sempre que necessário recorrer à capacidade de antecipação a cenários que possam posteriormente dar azo a matérias especulativas e, para que isso seja possível, torna-se necessário prestar os indispensáveis esclarecimentos em devido tempo. Foi assim com Roberto e ao que parece com Lolo ex-jogador do Valladolid, em que até ao momento apenas se conhece a versão do clube espanhol que coloca em xeque o Benfica.

Amanhã iremos ter a “Eusébio Cup” no Estádio da Luz em que pela primeira vez o oponente é um clube não europeu – o São Paulo –, e curiosamente é o reencontro do novo defesa-esquerdo encarnado Bruno Cortez com a sua antiga equipa. Apesar das limitações da pré-época o jogo promete ser interessante tendo em conta que o adversário treinado por um antigo técnico do Benfica é uma boa equipa e que quer naturalmente fazer boa figura criando dificuldades aos encarnados. Mas face à dinâmica de que o Benfica já dá mostras apesar de algumas lacunas que continuam a verificar-se, acredita-se que terá todas as possibilidades de vir a propiciar um bom espectáculo aos adeptos que certamente não deixarão de acorrer ao anfiteatro encarnado.

Enquanto prossegue o vai-vem de aquisições e dispensas que tem vindo a marcar a actualidade encarnada e que nem sempre é compreendido pelo adepto-comum que não consegue enxergar a razão para a aquisição de jogadores para posições onde o Benfica não está carenciado por um lado, e de atletas que são contratados e emprestados de imediato aumentando o enorme contingente de jogadores que fazem parte dos quadros do Benfica, continua a expectativa de se saber quais os nomes sonantes que demandarão a outras paragens quando já se entrou em contagem decrescente e alguns clubes com forte poder de compra, por razões estratégicas, reservam os decisivos ataques para os derradeiros dias e para as últimas horas.

Embora isso constitua uma situação a determinar pelo mercado e que ultrapassa o Benfica que como foi anunciado tem necessidade de vender, espera-se e deseja-se que não venhamos a ser confrontados com surpresas desagradáveis de última hora que desfalquem a equipa em certas posições consideradas essenciais e para as quais pode não haver alternativas viáveis no plantel e mesmo no mercado caso se repita a cena inesperada de há um ano. Tal facto pode tornar a equipa menos competitiva e comprometer uma época cujos objectivos estão bem definidos à partida aumentando assim o cepticismo que alguns adeptos continuam a interiorizar.

A avaliar pelas notícias que diariamente são publicadas na imprensa e para além dos importantes Garay e Salvio, é justamente a posição 6 preenchida por Matic que está a causar maior apreensão pela influência que o jogador sérvio tem no equilíbrio defensivo da equipa e por simultaneamente ser a posição que, em caso da sua saída está mais carenciada, sem evidentemente menosprezar o valor dos jogadores que existem no plantel e que podem cumprir na posição. Esperemos pois que as coisas se ajustem às pretensões dos encarnados e sem prejuízo do equilíbrio financeiro que é preciso manter, possa ser salvaguardada a posição desportiva mais do que nunca necessária em face dos antecedentes das épocas anteriores.








Bookmark and Share