Ponto Vermelho
Desgastante...
5 de Agosto de 2013
Partilhar no Facebook

Na ausência de notícias interessantes lá teremos que nos contentar com o esticar da corda e do prolongamento da novela Óscar Cardozo que de repente virou herói na Luz (e já agora em algumas redacções...), sobretudo para aqueles que tantas vezes o assobiaram e acusaram de ser mole, de não correr, de não ajudar os companheiros, mas que no momento em que marcava mais um golo e resolvia mais uma partida para o Benfica era idolatrado pelos mesmos que momentos antes o vilipendiavam num acto de soberba coerência. Nunca a glória e a pretensão foram tão efémeras…

Este tema que por todo esse conjunto de razões permanece no topo da actualidade deveria, efectivamente, estar já resolvido. Mas não está e quem está dentro do convento é que sabe o que lá vai dentro. É consensual que a partir do momento em que aconteceu o problema e os responsáveis deram sinais que passaria a estar na lista de vendas, houve imediata desvalorização no mercado. Mas, pelos vistos, alguém terá pensado que essa situação obrigaria o Benfica a vender a preços de saldos de Janeiro nesta altura, e isso dificultou o negócio e prolongou o suspense que se mantem. Nem tudo é mau pois assim temos a possibilidade de ler e ouvir todo o leque de opinadores a debitar as suas doutas opiniões…

Da realidade ficcionada, quem hoje olhou ainda que de soslaio para a capa do diário da verdade a que temos direito agora com novo look, se fosse benfiquista e crédulo, ficaria de imediato preocupadíssimo. Provavelmente devido ao agravamento da crise, inspirados no (des)governo que temos depois de mais uma irreversibilidade de expropriação forçada de mais uns simples trocos do sustentáculo das pensões de reforma que não lhes pertencia, os responsáveis encarnados que andaram a propagar que o objectivo final de receitas extraordinárias com a venda de jogadores apontava para 40 milhões, terão refeito as contas…

Segundo o mesmo diário, afinal, devido às aquisições em catadupa e particularmente aos montantes contratualizados para este período, as necessidades situam-se agora na ordem dos 75 milhões o que representaria um desvio colossal em relação aos objectivos inicialmente traçados. Mais uma revisão efectuada em alta… E assim sendo, os responsáveis encarnados teriam que vender nada mais nada menos do que meia-equipa titular. Um tremendo bico de obra… para Jorge Jesus que teria que refazer de novo a equipa, mandando definitivamente às malvas a tão reclamada e desejada estabilidade. Ainda para mais com a final da Champions de 2014 no Estádio da Luz…

Um novo desafio. E enquanto a hola não encontra motivos para fazer a sua aparição, os velhos detractores do treinador encarnado estão a rejubilar porque oportunidades destas não surgem todos os dias. E no passado sábado no jogo com o S. Paulo já tiveram ocasião de fazer o primeiro ensaio com assobios e com o agitar de lenços, naquilo que ao que tudo indica passará a ser uma das novas coreografias para a época de 2013/2014. E assim, para que começasse logo a ser novidade, nada melhor do que um pré-ensaio logo no jogo de estreia no Estádio da Luz, prometendo novas incursões muito em breve…

Compreende-se afinal a frustração que o velho diário faz questão, todos os dias, de potenciar. Para mais, a Eusébio Cup imitando a ex-Águia Vitória resolveu voar outra vez da Luz e aquele troféuzito da Senhora de Elche que pela primeira vez veio para Portugal para enriquecer o Museu, demonstrou que os jogadores estão com preparação deficiente pois foram necessários dois para o trazer. E se fosse para o erguer como manda a tradição, seria preocupante pois seriam precisos pelo menos três que não poderia ser nenhum dos incluídos no pacote de vendas anunciadas não fosse, por infortúnio, arranjar qualquer lesão na região lombar…

Em plena contagem decrescente para o início do campeonato, crescem pois os motivos de apreensão para alguns, rejubilam os apreciadores de desgraças alheias, e esfregam as mãos de contentes os especuladores. De todos os quadrantes. Para que a coisa fique mesmo completa falta apenas juntar-lhe uma pitada de fina ironia um acontecimento que o Tuga Rosário aprecia vivamente e não perde por nada deste mundo. Sobretudo se o alvo da satirização for o Benfica que, para si, tem o condão de concentrar todos os males que habitam no Universo. Mesmo que nem sempre isso aconteça, não resistimos a citar Adrian Gras: «O pior tipo de pessoa que existe é aquela que usa as suas dores, frustações e mágoas para atrapalhar a alegria alheia».






Bookmark and Share