Ponto Vermelho
Desassossego
22 de Outubro de 2013
Partilhar no Facebook

1. Apesar da enorme variedade de cenários montados e de nuvens de poeira lançada para os olhos dos adeptos e da opinião pública, é manifestamente indisfarçável o desassossego e a angústia que de há uns tempos a esta parte se começaram a manifestar no Dragão e que estão a atingir o ponto alto precisamente esta semana com dois jogos de capital importância para o emblema de Pinto de Costa e seus pares.

2. Para a Liga dos Campeões depois do deslize em casa perante o Atlético de Madrid, no jogo de hoje com o Zenit de St. Petersburgo, qualquer resultado que não seja a vitória poderá hipotecar seriamente as hipóteses do FC Porto. E no Domingo, ante o surpreendente Sporting é exigido o mesmo resultado sob pena da equipa entrar em grande turbulência face aos objectivos perseguidos. Os sinais estão todos lá e só não os percebe quem está distraído ou quem não presta um mínimo de atenção.

3. Com efeito, por muito que isso possa parecer estranho, desde a época de 2011/2012 que se nota com maior acuidade uma acentuada décalage na produção portista que só não tem sido particularmente visível no capítulo interno porque as tradicionais mãozinhas arbitrais por um lado e a colaboração do Benfica por outro, têm, e de que maneira, ajudado a disfarçar esses sintomas. Foi assim nas duas últimas épocas e decorridas que estão 7 jornadas da actual têm-se mantido.

4. No panorama nacional devido ao enorme facilitismo que tem sido o maior aliado de praticamente todas as épocas, foram-se acentuando as expectativas e criado um nível de grande exigência pelos adeptos portistas. Não havendo exclusividade nessa assumpção porque ela é comum em situações similares em todos os clubes, a realidade é que depois de se atingirem determinados patamares (mesmo que de harmonia com a cartilha portista os meios justifiquem sempre os fins), o grau de exigência torna-se demasiado alto para que possam ser aceites ou toleradas pelos adeptos situações de menor fulgor e/ou resultados adversos ainda que apenas pontuais.

5. Seria manifestamente injusto atribuir ao nóvel treinador o maior quinhão de culpas pelas deficiências exibicionais patenteadas e os resultados conseguidos com dificuldade. Se são publicitados até à exaustão os tremendos méritos e virtudes da estrutura de sonho e se é enaltecido, a cada passo, o incomensurável saber do presidente portista de todos os segredos do futebol (no campo e fora dele), mantendo-se tudo isso, há que encontrar outras razões para o declínio que tem vindo de alguma forma a manifestar-se. Até porque nem sequer um dos vectores em que tem assentado o domínio portista – a arbitragem –, tem falhado nos momentos da verdade.

6. Existem pois razões fundamentadas para a apreensão que grassa para as bandas do Dragão. Os dois próximos jogos serão cruciais para aferir como vão reagir os portistas à indiscutível pressão que se começa a abater sobre os seus ombros e que será por ora sacudida em caso de vitória em ambos os encontros que, diga-se de passagem, não está fora das previsões. E caso venha a suceder, haverá certamente festa na Aldeia… porque isso ajudará a desanuviar o ambiente que começa a ficar algo pesado e que se sente apesar das cortinas de fumo que têm vindo a ser lançadas por alguns bombeiros de serviço à causa. É indisfarçável.

7. Contudo, o cenário mais improvável pode também vir a suceder. E se porventura acontecer, em tempo de Outono-invernoso muita água poderá correr por debaixo das pontes. Porque um dos principais objectivos começa a ficar hipotecado, e o outro em que existe menor grau de probabilidades até porque é uma competição interna em que os factores exógenos atingem particular relevância, pode dar élan ao jovem leão para alcançar objectivos que estavam completamente fora de questão na programação de início de época. E isso pode criar um factor de colisão. Veremos então o que começará já a suceder daqui a pouco mas até que o desafio seja dado como concluído, a apreensão e o nervosismo mal disfarçado vai imperar e muitas unhas serão roídas para os lados do Dragão…






Bookmark and Share