Ponto Vermelho
Crescentes expectativas
27 de Outubro de 2013
Partilhar no Facebook

1. Já não falta muito para que se inicie um duelo que pode ser escaldante entre o FC Porto e o Sporting. Sortilégios do futebol pois certamente no princípio da época, nem o mais entusiasmado e optimista dos adeptos leoninos se atreveria a vaticinar que o clube de Alvalade conseguiria, por esta altura, estar a disputar a liderança e até com hipóteses de se isolar na frente do campeonato. Sendo difícil, como é evidente, essa é uma das possibilidades em cima da mesa.

2. Como não poderia deixar de ser, com muita antecedência começamos a assistir a alguma diversão através de jogos florais entre os dois presidentes, a partir do momento em que num dos tradicionais negócios opacos em que é fértil o clube do Dragão, João Moutinho e James Rodriguez foram vendidos em pacote com um preço final acordado, em que subitamente, por obra e passe de magia, Moutinho um dos mais valiosos activos dos portistas, foi estranhamente desvalorizado e passou a valer uns míseros 25 milhões. Todos perceberam porquê e naturalmente o presidente do Sporting não ficou calado perante esta estranha evidência.

3. No seu desabafo, Bruno de Carvalho não calou uma referência à fruta no caso vertente bananas que não foi bem assimilado no Dragão, não sabemos se por estarem fartos da dita cuja que foi muitas vezes o alimento de soldados durante a guerra colonial. Conhecemos até várias pessoas que nunca mais conseguiram comer bananas. Seja como for, novo episódio ficou marcado para Portimão e depois do corte de relações assumido pelo Sporting, a troca de galhardetes nunca mais cessou. E só não terá adquirido proporções mais vastas dado que Pinto da Costa não conhece Bruno de Carvalho…

4. Como já vários vezes afirmámos, este tipo de situações não é de forma nenhuma benéfica para o Futebol português, sejam quais forem os clubes ou personalidades envolvidas. Mas é preciso em cada momento avaliar as circunstâncias e tentar perceber se o silêncio é a atitude adequada perante o desaforo da outra parte. É indesmentível que Pinto da Costa tem usado e abusado desse tipo de expediente em que o alvo predilecto tem sido o Benfica e os seus dirigentes, dado que o Sporting na última década e até à época passada, esteve envolvido num romance em que a fidelidade esteve apenas do lado leonino.

5. São conhecidas as dezenas e dezenas de piadolas de gosto duvidoso e as ofensas pessoais propaladas pelo presidente portista a dirigentes encarnados, nomeadamente aos ex-presidentes João Santos e Manuel Vilarinho. Como todos estamos recordados, nada de trancendente aconteceu e a maioria da imprensa primou pelo silêncio cúmplice e envergonhado dado que não convinha mesmo nada hostilizar o Querido Líder fossem quais fossem as circunstâncias. Em muitos casos, foram até consideradas como fina ironia.

6. Foram alguns desses artistas que em muitos casos mais pareciam estar a cumprir uma promessa no Santuário de Fátima (com todo o respeito), que agora vieram recomendar a Bruno de Carvalho que estivesse calado para não despertar o dragão, não fosse ele acordar e tornar-se ameaçador. E lá veio a lenga-lenga do factor motivacional para justificar o pedido de silêncio para não sofrer na pele a ira do Dragão. Ou seja, tudo parece ser permitido ao Querido Líder que nunca deve ser contrariado na sua sapiência argumentativa quando e como muito bem entender, não restando alternativa a qualquer adversário senão remeter-se porfiadamente a um silêncio compungente...

7. É claro que tem havido excessos de Bruno de Carvalho inebriado por um Mundo que está a girar em alta velocidade à sua volta. Mas porquê haver dois pesos e duas medidas? Qual a razão porque tudo é branqueado e até enfatizado em determinados lugares e condenado noutros, independentemente das barreiras da boa educação terem sido ultrapassadas em ambas as situações? Quanto ao jogo; julgamos ser imprevisível o resultado tendo em conta as condicionantes de ambos os lados. Seria bom para o espectáculo que o jogo pudesse decorrer com toda a normalidade dado que qualquer que seja o resultado nada ficará decidido. Aparte isso e tendo em conta experiências anteriores (ainda que as camisolas desta vez sejam verdes), existe algum receio que possam haver escaramuças como é normal em todos os clássicos. Mas certamente e desta vez, a polícia estará atenta. Até nas pontes e nos viadutos…






Bookmark and Share