Ponto Vermelho
Luz da esperança
14 de Novembro de 2013
Partilhar no Facebook

Estão aparentemente reunidas todas as condições para que amanhã possamos assistir à propagação intensa da luz da esperança na primeira parte de um prélio que se prevê rijamente disputado ou não estivesse em equação a viagem a Terras de Vera Cruz, mas que Portugal com mais ou menos favoritismo tem obrigação de vencer para que a viagem a Solna comece a ficar desde logo salvaguardada. Para que tal possa acontecer é absolutamente vital que os jogadores portugueses encarem o jogo de forma concentrada durante os noventa minutos de jogo e pressionem em todo o campo do primeiro ao último minuto, única forma de conseguir tal desiderato.

Olhando para trás poderíamos rebobinar um filme cuja fita já está gasta de tanto ser usada. A questão a nosso ver é fundamentalmente de ordem psíquica que a habituação à presença em fases finais acentuou, dado que parece existir na mente dos jogadores nacionais a convicção de que com mais ou menos dificuldades seremos apurados mesmo que tenhamos que disputar um play off. Isso leva a deficientes abordagens aos adversários e à desconcentração e, por via disso, ao facilitismo em determinados períodos do jogo com adversários menos cotados que acabam por se revelar fatais para as nossas aspirações em termos de apuramento directo.

É por isso que não houve duas sem três, sendo a questão que se coloca de que tantas vezes o cântaro vai à fonte…. Todavia estamos convictos (e aqui existe sem dúvida alguma dose de patriotismo) que ainda não será desta vez que ele lá fica. Baseamo-nos no facto de que os jogadores portugueses quando já não existem mais possibilidades de adiamento das decisões, se costumam transcender e demonstrar que afinal são capazes de produzir mais e melhor em todo o tempo. Pena é que só o façam quando as alternativas estão esgotadas e nada mais reste do que assumir por esse imperativo.

O simbolismo do Mundial ter lugar no Brasil obriga a que todos os índices que possam influir nestas duas partidas fulcrais para as aspirações portuguesas estejam em alerta máximo. Num momento em que qualquer deles pode revelar-se decisivo de nada adianta estar a dissertar sobre aspectos lateralizantes como temos vindo a assistir nos últimos dias na imprensa. É indubitável que Portugal competiu num Grupo em que tinha valor suficiente para alcançar o apuramento directo, mas pelas razões que se conhecem e que são infelizmente habituais nos seleccionados lusos não o conseguiu e, por essa razão, só resta agora olhar em frente de forma decidida para amanhã e para a próxima 3.ª feira.

Admitimos que possa haver a tentação de entrar pela velha discussão dos nomes. Uns por que estão a mais e outros porque estão a menos. Sempre assim foi com este ou com qualquer outro seleccionador. Porque se a responsabilidade pertencesse a cada um de nós, imaginem quantas equipas diferentes não seriam constituídas… Mas com razão ou sem razão (o tempo o dirá como sempre), Paulo Bento escolheu um determinado núcleo duro em quem aposta e possamos concordar ou não, só nos resta desejar-lhe as maiores venturas porque o seu sucesso e o dos jogadores por ele escolhidos será o de todos nós portugueses que bem precisados estamos de uma forte alegria.

Por razões que se prendem com a elevação do mediatismo para alcançar fins óbvios, tem sido empolada a disputa entre os dois maiores expoentes das duas Selecções – Cristiano Ronaldo e Ibrahimovic –. Não vemos que se justifique estar a insistir nesse pormenor porque isso é desfocar o objectivo. As equipas devem valer enquanto tal e não reduzir a questão a uma mera guerra pessoal que não tem razão de ser. Felizmente que esse ponto parece estar claramente assimilado pelos dois jogadores que tiveram a inteligência e o bom senso de não alimentar polémicas como seria certamente desejo de muitos que gostam de viver desses temas palpitantes…

Amanhã e na 3.ª há um objectivo claro e preciso e nada deve desconcentrar os jogadores portugueses. A avaliar pelas suas declarações todos parecem ter plena consciência da importância do momento. E se assim for realmente, poderemos ter a certeza de que no campo tudo farão para conseguir o objectivo de qualificação de Portugal, certamente empurrados por uma multidão que sem distinção de credos ou cores e irmanada no mesmo desejo, transformarão a Luz num inferno de apoio a todos os jogadores sem excepção. Isso, aliado à convicção de muitos de que sem Portugal o Mundial do Brasil ficará amputado, pode dar o impulso decisivo para a nossa qualificação. Lycka till Portugal!






Bookmark and Share