Ponto Vermelho
A face mais incrível do Futebol
1 de Dezembro de 2013
Partilhar no Facebook

Decorrido que está primeiro terço do campeonato, várias situações têm ocorrido que nos podem fazer chegar mais uma vez à conclusão de que no Futebol tudo pode acontecer mesmo quando os indícios e os factos parecem querer indicar caminhos e direcções completamente diferentes. É a face surpreendente do Futebol que por isso se torna particularmente atractivo com situações inesperadas que por vezes desafiam e desmontam toda e qualquer lógica que porventura possa existir. São entusiasmos e euforias a transformarem-se em depressões, alegrias contagiantes que passam a tristezas profundas, aplausos veementes que dão lugar a apupos e a invectivas desbragadas.

Com o Benfica a prolongar os 12 dias de todas as tristezas e a soçobrar logo na 1.ª jornada e voltar outra vez a perder pontos na 3.ª, passou a existir a convicção de que o campeonato iria desenrolar-se da mesma forma e ser igual a tantos outros, com o FC Porto a assegurar em tempo recorde a tal almofada pontual tanto do seu agrado para se dedicar de corpo e alma à Liga dos Campeões onde tinha legítimas aspirações e com um suplemento adicional – a final a disputar no Estádio da Luz! Isto mesmo com um treinador ainda com falta de tarimba para tão altos voos mas escolhido pelo dedo inimitável de Pinto da Costa. Além de que, tinha toda uma estrutura por detrás que como se sabe tem larga experiência e amplo domínio dos vários tabuleiros.

Com os sintomas que pareciam claros manifestados pelo lado encarnado com prestações menos positivas e nada entusiasmantes, aliadas às incidências nos seus jogos conjugadas com os habituais factores exógenos, pareciam estar reunidas as condições para ser alcançado o desiderato programado no princípio de época. Sem problemas de maior, pelo que bastariam prestações normais e arbitragens normais para que tudo fosse transformado em mais um passeio igual a tantos outros do passado – longínquo e recente. Até porque face ao tradicional apagão da memória colectiva, a história da prova, mais uma vez, apenas registaria os resultados.

A despeito de todas estas indicações favoráveis aos desígnios azuis e brancos, entrou em acção o lado imprevisto do futebol que até ao momento tem resistido aos constantes ataques dos tais factores externos que como não poderia deixar de ser, têm sido parceiros fiéis da lógica que há décadas impera no Sistema, mas que por inépcia inabitual dos portistas esta época conduziram à situação presente. Os factores favoráveis têm acontecido com uma cadência impressionante, umas vezes a impedir males maiores e outras vezes a entregar numa bandeja oportunidades soberanas desaproveitadas como ainda ontem se viu. O Sistema cumpre a sua parte decisiva, o que não tem é culpa que os jogadores portistas as desaproveitem…

Perante este panorama compete ao Benfica (e já agora ao Sporting que tem uma oportunidade de ouro de cheirar o primeiro lugar) fazer a sua parte. De nada adianta se porventura não souber aproveitar a chance que se lhe depara de conseguir o tão almejado primeiro lugar. Ainda mais do que o Sporting que parece ter uma tarefa bem menos complicada, o Benfica tem que fazer pela vida e demonstrar que merece o primeiro lugar. Não basta reinvindicá-lo no papel ou através de meros desejos mas sim dentro do campo onde tudo se decide ao fim de noventa minutos. Será difícil? Dizer que sim será cair no lugar comum até porque como é sabido, todas as equipas sempre que defrontam os encarnados conseguem encontrar outros níveis de motivação que as leva a superarem-se.

Como tem ressaltado nas 10 jornadas já disputadas bem como na fase de grupos da Liga dos Campeões, nem tudo parece afinado na equipa do Benfica. A sucessão de lesões que têm atingido o plantel a uma cadência impressionante têm redundado em algumas indefinições que têm impedido que a equipa possa explanar no campo aquilo que pode e está a seu alcance. E isso tem dado origem a alguns resultados e exibições menos conseguidas. Mas se não quer fica pelo caminho e pretende atingir os objectivos exequíveis a que se propôs no início da época, é agora altura de rectificar lacunas e corrigir indefinições pois só assim será possível atingir o ponto mais alto do pódio. É isso que esperamos que aconteça já hoje como ponto de partida para uma caminhada longa e difícil mas que está perfeitamente ao seu alcance. É essa a nossa expectativa e é nisso que acreditamos!








Bookmark and Share