Ponto Vermelho
Verde e branco é o que está a dar...
3 de Dezembro de 2013
Partilhar no Facebook

1. A 11ª jornada do campeonato confirmou em absoluto que o renovado Sporting está na luta pelo título e esperançado em conseguir aquilo que não obtém desde o princípio do século – o 1.º lugar no pódio. A sua posição neste momento será certamente uma surpresa para a opinião pública desportiva em geral e para os próprios sportinguistas, dado que a descida acentuada que se vinha acentuando e que teve o seu ponto mais baixo na época passada, não só foi invertida como foi muito para além das expectativas criadas. Este ano, parece já estar garantido que o Natal é mais verde…

2. Percebe-se por isso o esforço que está a ser feito no sentido de conter a euforia legítima dos adeptos e dos orgãos sociais a começar por Bruno de Carvalho que de quando em vez vai deixando escapar o que lhe vai na alma. Nada que não seja entendível à luz dos resultados obtidos e da carreira da equipa, mas manda a prudência que não devem embandeirar em arco porque apenas e só está disputado o primeiro troço do campeonato, e os dois principais candidatos ao título têm registado percursos com vários percalços e com trajectórias inversas; o FC Porto começou bem mas tem vindo a descer de forma vincada e o Benfica de forma contrária mas com vários soluços.

3. Quem melhor tem personificado a postura de ponderação tem sido, sem dúvida, o seu treinador Leonardo Jardim ainda que já por mais do que uma vez tenha demonstrado nas entrelinhas que o título, dada a forma como o campeonato está a decorrer, não está fora das suas cogitações. Apesar de frequentemente instado pelos jornalistas e opinadores, Jardim tem-se refugiado em evasivas não vá o diabo tecê-las. Mas é inegável que isso terá de fazer sempre parte dos objectivos verdes e brancos pelo seu passado histórico por um lado, e esta época também a partir do momento em que as coisas se começaram a compôr em termos classificativos.

4. Nas diversas projecções que foram feitas no princípio de época por entendidos na matéria, o Sporting nunca esteve perfilado como real candidato mas antes apontado para o objectivo de regressar à Europa, sendo todavia admitida a possibilidade de ombrear com o SC Braga pelo 3.º lugar e a consequente possibilidade de vir a lutar pela terceira vaga no acesso à Liga dos Campeões. Situação aliás lógica, porquanto no pensamento de todos estava ainda presente a época horrível que tinha atirado o Sporting para a sua pior classificação de sempre desde que participa no Campeonato Nacional.

5. Sabe-se contudo que o Futebol tem a característica de num ápice inverter radicalmente situações, seja para o lado positivo seja para a vertente contrária. Outros clubes aliás, já têm passado por essa experiência como ainda recentemente o Benfica nos fatídicos 12 dias de final da época, e agora o FC Porto apesar de possuir uma estrutura de sonho mas a dar mostras de que também não é imune à crise. É com base em todos estes exemplos que qualquer clube quando as suas performances parecem indicar que o melhor está para vir, deverão refrear as atitudes, arrefecer os ânimos mais exaltados e, se possível, congelar a euforia. Relembramos o exemplo do Benfica na Madeira após vencer o Marítimo…

6. Sendo o Futebol por natureza imprevisível, ainda assim reafirmamos a nossa convicção de que a estrutura do Sporting não está dimensionada para ser campeã, muito embora esse seja um cenário que não poderá ser descartado por um conjunto de razões objectivas. Mau grado não ter um plantel em quantidade e em qualidade em comparação com os dois principais candidatos, a equipa tem vários jovens promissores, está muito moralizada e sabe-se a influência que o factor psicológico tem no desenvolvimento do jogo de qualquer equipa. Além disso, não estando na Europa e na Taça de Portugal, os jogadores sofrem muito menos desgaste e há mais tempo para preparar os jogos, e isso faz uma diferença importante pois permite equilibrar mais os tabuleiros com os rivais.

7. Contudo, pese embora a vontade de muitos em alargar o leque tradicional de candidatos ao título e acabar com a monotonia de serem apenas sempre dois, é cedo, muito cedo, para poder fazer uma avaliação mais objectiva, em concreto se a jovem equipa do Sporting continua a manter a estaleca à medida que a época vai avançando e várias incidências vão acontecendo. Isso vale para todos, mas obviamente quem dispõe de mais trunfos para jogar está em vantagem. É por isso que apesar da excelente carreira do Sporting até ao momento, continuamos a considerá-lo como o menos apetrechado dos três na luta pelo título. Até porque estamos a falar de uma prova longa e de regularidade. Como diria o nosso antigo treinador Sven-Goran Eriksson: vamos a ver, vamos a ver






Bookmark and Share