Ponto Vermelho
Reedição
11 de Fevereiro de 2014
Partilhar no Facebook

1. O facto insólito do derby não se ter realizado por razões alheias aos dois protagonistas tem servido de pasto às mais desencontradas opiniões em que como é normal, se discute mais o acessório relegando o principal para 2.º plano. E só não houve um maior empolamento porque a empresa encarregada da manutenção do Estádio e que está na berlinda por outras razões que não vêm agora ao caso, é rigorosamente a mesma que faz igual trabalho em Alvalade e no Dragão. Sendo assim e porque as explicações técnicas para o sucedido deverão ficar a cargo dos técnicos ficamos por aqui e não damos crédito aos vários bitaites de algumas pessoas que imediatamente circularam e cuja argumentação acaba por isso por ser algo duvidosa.

2. Estando por isso ultrapassado o problema e tendo havido já confirmação oficial de que o jogo terá hoje lugar, é altura de nos focarmos no mesmo porque é aí que estão verdadeiramente concentradas as atenções de milhões de adeptos e de pessoas ligadas ao futebol e às incidências dos derbies que se repetem mas são sempre diferentes, por mais que as conjunturas possam apresentar-se semelhantes. Não é esse agora o caso e, por isso mesmo, a expectativa aumenta na convicção de que, mau grado alguns handicaps, teremos a possibilidade de vir a ter um jogo de grande competitividade tendo em conta o que está neste momento em jogo.

3. Todos sabemos que qualquer que seja a altura da época e a classificação das duas equipas, estes jogos encerram sempre alguma magia. Independentemente de poderem não ser tecnicamente bem jogados, a realidade é a de que a intensa rivalidade sentida de forma especial pelos jogadores e pelos adeptos das duas equipas transformam os derbies em algo de único dado que ninguém quer ser derrotado. Esta temporada com o ressurgimento do Sporting o jogo revestir-se-á de um carácter mais intenso, tendo em consideração que a derrota de um dos contendores pode trazer consequências importantes para o que ainda resta do presente campeonato. Sobretudo em termos psicológicos.

4. Continuamos a manter a ideia de que o Sporting é o que tem mais a ganhar e simultaneamente mais a perder. Se ganhar pode ser o clique que o leve a assumir definitivamente a candidatura oficial ao título, mas se perder as consequências poderão vir a ser devastadoras. Não sendo de excluir como resultado possível tendo em conta o que está em jogo, não se nos afigura que o jogo venha a terminar com uma igualdade entre os dois contendores que certamente arriscarão no sentido de chegar ao fim com mais um golo marcado do que o adversário. E isso pode resultar numa competitividade de se lhe tirar o chapéu.

5. Tem sido muito comentada a opção de Leonardo Jardim por dois avançados que podendo ser surpresa até ao período de aquecimento, deixaria de o ser a partir daí. Não sendo líquido que volte a repetir a fórmula, o contrário também não o é, pelo que até à hora do jogo haverá a expectativa sobre se ele irá manter essa opção. Provavelmente não terá razões para mudar. Tal como Jorge Jesus que se prepara para ser conservador mantendo as escolhas na linha do que tem acontecido, uma vez que a titularidade de Óscar Cardozo parece ainda não ter pés para andar tendo em conta que a sua forma física anda à procura de melhores dias. No entanto todos sabemos que é por norma bem sucedido com o Sporting e assim sendo mais tarde ou mais cedo não deixará de vir a ser protagonista.

6. A manter-se a constituição das equipas semelhante à de Domingo, tal significa que poderá vir a haver muitos golos. Porque de um lado e do outro existem jogadores com faro de golo, sendo a diferença estabelecida pela dinâmica de jogo de ambas as equipas e naturalmente pela maior ou menor inspiração e eficácia dos jogadores. Depois, há que levar em linha de conta que existem jogadores que aparecem sempre nestes jogos e acabam por fazer a diferença através da sua inspiração que vem ao de cima nestes momentos. E se há jogadores que o podem fazer…

7. De qualquer forma, por mais que se argumente e por mais previsões que se façam tudo pode ser pulverizado pela velha máxima de que qualquer um pode vencer, tal a imprevisibilidade de que se rodeiam estes jogos em que nem sequer o factor casa é determinante. É evidente que na nossa convicção de benfiquistas esperamos vencer. Não o dizemos por dizer mas porque na presente conjuntura se nos afigura que o Benfica tem mais condições para vencer e dar o salto para uma distância pontual que o ponha a coberto de surpresas que como sabemos temos tido e que esperamos não se repitam…






Bookmark and Share