Ponto Vermelho
Lição aprendida?
23 de Março de 2014
Partilhar no Facebook

Depois das inesperadas emoções sofridas na Liga Europa, temos o regresso do campeonato com mais um jogo em casa. Desta vez perante a Académica equipa que nos tem causado vários dissabores na Luz nas últimas épocas, e que ainda na temporada pretérita nos vez a vida cara com o Benfica a vencer no último sopro do encontro através de uma grande penalidade transformada por Lima. Esta época e apesar da vitória categórica em Coimbra, muita coisa aconteceu depois a ambas as equipas, sendo a consolidação de processos e a variação de forma as mais relevantes.

Com efeito, é indiscutível que de então para cá a Académica foi refinando a eficácia do seu fio de jogo e que está bem patente nos últimos resultados alcançados e que lhe permitiram para já atingir um tranquilo 10.º lugar com 29 pontos conseguidos. No jogos disputados fora de portas, os estudantes têm um score equilibrado em todos os capítulos, sendo de realçar os golos sofridos (8) que lhe dão o merecido destaque de ser a segunda defesa menos batida, à frente de todas as equipas que a precedem na classificação incluindo os três grandes.

É verdade que na outra extremidade, o ataque não consegue concorrer com a performance da defesa pois em termos de eficácia só suplanta o do Rio Ave, Paços de Ferreira e do Belenenses, estando em pé de igualdade com 10 golos com mais duas equipas (Arouca e Olhanense). Sendo que as estatísticas valem o que valem, a realidade é que pelo que se observa, a Académica pode vir a ser um osso difícil de roer porque não é equipa de conceder muitos espaços na sua zona defensiva para que os adversários possam concretizar. Um grande rigor transmitido pelo seu jovem técnico a quem os entendidos auguram um futuro risonho como treinador.

Do outro lado o Benfica que apresentou sinais de cansaço nos minutos finais do jogo da passada 5.ª feira ainda que mais visíveis em jogadores sem o mesmo nível de utilização. Provas e adversários diferentes sendo que apesar das ambições em ambas as provas, é o campeonato que constitui a grande prioridade como tem sido repetidamente anunciado. Logo é natural que o foco maior incida sobre esta prova e portanto todos os jogos são importantes sejam em casa ou fora e seja qual for a natureza do adversário. Nunca é demais referir que foi com dois adversários do fim da tabela que o Benfica viu voar 4 pontos que lhe dariam agora muito jeito para uma gestão mais tranquila nesta altura da época em que as grandes decisões se aproximam.

Não são previsíveis para hoje surpresas nesse capítulo excepto aquelas que decorram das incidências do próprio jogo. É expectável que a Académica não difira da esmagadora maioria das equipas visitantes, com uma defesa e um meio campo reforçados e, na expectativa de eventuais desposicionamentos da defesa encarnada, procurar lançar contra-ataques através dos elementos mais rápidos. Estando o Benfica certamente avisado para isso, não irá por certo cair na esparrela de atacar desenfreadamente desguarnecendo assim o seu reduto mais atrasado, procurando através de um jogo de paciência abrir brechas na defesa coimbrã. Para além de tentar explorar as bolas paradas que tão bons resultados têm dado em jogos mais complicados de desbloquear.

Há quem queira aumentar a pressão pelo facto do Sporting ter ontem vencido na Madeira com maiores facilidades do que seria esperado, contrariando a tendência do Marítimo que no seu reduto já tinha vencido o Benfica logo na jornada inaugural e mais recentemente os actuais campeões nacionais. Comprovou-se que não existem partidas iguais e enquanto os jogos pelas razões que se sabem não se realizarem à mesma hora, haverá sempre esta questão adicional da pressão como se hoje quer Benfica quer FC Porto não tivessem que cumprir o seu papel de vencer os seus jogos.

Resta ao Benfica concentrar-se apenas no desafio que se segue e fazer o que lhe compete sem se dispersar com resultados alheios. E mesmo que os leões tivessem sucumbido na Funchal não era por isso que a pressão passava a ser mais reduzida, dado que dos encarnados os seus adeptos esperam sempre que alcance bons resultados independentemente do adversário e da prova em discussão. É isso que se aguarda hoje frente à Académica onde, mais uma vez, os adeptos e simpatizantes poderão vir a ser um factor determinante na conquista da vitória e na redução da pressão






Bookmark and Share