Ponto Vermelho
Acabaram as dúvidas?
14 de Abril de 2014
Partilhar no Facebook

1. À medida que se ia desenhando a caminhada da equipa do Benfica rumo ao título, as dúvidas e incertezas de parte do universo encarnado não abrandaram no chamado núcleo duro da maledicência onde uma parte da imprensa se apoia para veicular opinião, como se aí residisse a verdade de toda a família benfiquista. O começo de época cambaleante, os resquícios do passado próximo e as exibições pouco prometedoras, fizeram as delícias de todos aqueles que encaram as eventuais desgraças encarnadas como um manancial inesgotável de notícias pré-fabricadas e em desenvolvimento permanente.

2. Ninguém está imune a críticas mas empolá-las e entrar por caminhos em que se pretende atingir a dignidade dos outros não nos parece, de forma nenhuma, a maneira mais adequada de impôr o que se pretende. A culpa não está na liberdade que felizmente disfrutamos, mas de quem dela abusa sem se sequer dar ao trabalho de pensar por um momento que seja, o quanto ela demorou a conquistar e a dificuldade dos que para isso tanto lutaram. Em que tristemente alguns, são agora menosprezados e nalguns casos vilipendiados por gente que por decoro, não nos atrevemos a classificar.

3. Bem sabemos que é mais fácil destruir do que o contrário, da mesma maneira que está na nossa génese a prática de colocarmos defeitos em tudo o que mexe e sobretudo quando os alvos atingem o sucesso. É uma forma de conseguirmos vitórias através da tentativa de neutralização do sucesso dos outros. É a velha teoria negativista a dar passos no mundo do pessimismo que impede que avancemos de forma harmoniosa de acordo com as capacidades e os méritos de cada um. Não estranhemos por isso o atraso com que nos debatemos nos vários campos e horizontes da vida.

4. O Benfica pela sua dimensão histórica e pelo seu prestígio é por essa razão fortemente fustigado. Em particular nos momentos de crise acentuada e nas alturas em que as perspectivas de sucesso se apresentam como razões válidas para que a família benfiquista acredite que é possível ir mais além. Com calma e ponderação, com incertezas próprias do mundo onde estamos inseridos, mas também com confiança de que podemos lá chegar. Sem que isso queira significar uma antecipação prematura de vitórias que, por mais bem encaminhadas que estejam, encerram em si mesmas sempre algum grau de subjectividade.

5. Durante grande parte da época mesmo quando as coisas estavam a ficar no bom caminho foi sendo alimentada por uma franja de adeptos da minoria imberbe e ruidosa a rebuscada teoria da desgraça continuada. Uma situação habilmente explorada por alguns dos adversários e inimigos do Benfica que mesmo quando as evidências começaram a surgir, prosseguiram na sua cruzada com constantes evocações do passado para provocar a incerteza e a desestabilização. Se é certo que o passado deve estar presente para que se tentem evitar alguns dos erros cometidos, não nos podemos esquecer as circunstâncias em que tal aconteceu em que, para além de deslizes próprios, também faltou a pontinha de sorte que ajuda a consumar os campeões.

6. Depois de Aveiro que continua a fazer cócegas aos paladinos da verdade desportiva, parecem não restar mais dúvidas que estará encontrado o campeão da época 2013/2014. Um vencedor justo e inquestionado que acabou por dar razão ao treinador encarnado que no auge do desânimo de alguns benfiquistas afirmou que o que interessa não é como se começa mas como se acaba. À medida que a caminhada dos encarnados para o título se ia tornando inevitável, começaram as teses de desvirtuamento do mérito benfiquista. Nada de transcendente se pensarmos que isso faz parte da atitude e comportamento de alguns dos nossos adversários independentemente da roupagem com que se apresentam.

7. Aparte o preto no branco que ainda falta no título máximo, novos desafios se apresentam no curtíssimo prazo. Qualquer deles de grau de dificuldade elevado ou não estivéssemos nesta altura da época e os oponentes não fossem aquele que tem sido o principal adversário interno nos últimos anos e a poderosa Juventus líder incontestado do campeonato italiano. Tudo pode naturalmente acontecer mas é fundamental que nos consciencializemos que o Benfica tem uma palavra importante a dizer em todos eles. Logo há que acreditar que temos capacidade para ir mais além e estar presente nos jogos finais. A acontecer será um mérito que ninguém poderá retirar ao Benfica por lá ter chegado. Qualquer que venha a ser o desfecho!






Bookmark and Share