Ponto Vermelho
Uma excelente notícia!
30 de Abril de 2014
Partilhar no Facebook

1. Se fossemos comparar a situação de há um ano atrás em que o Benfica disputava também o acesso à final da Liga Europa, dir-se-ia que, estaríamos exactamente perante os mesmos contornos. No entanto, há neste preciso momento sentimentos algo diferentes. De facto, ao contrário de então, o grande objectivo de vencer o campeonato está já concretizado, a final da Taça da Liga assegurada e a final da Taça de Portugal atingida. Diferenças acentuadas na forma que estão a entusiasmar até os mais cépticos benfiquistas e irão permitir outra forma de abordagem e gestão de expectativas dos desafios que aí vêm.

2. Termos conseguido o campeonato faz para já a grande diferença. E também as outras finais domésticas uma das quais tínhamos falhado. Todavia, os mais distraídos, acharão que as diferenças não serão assim tão gritantes. O futebol apresentado esta temporada a partir da fase em que a equipa estabilizou e atingiu a velocidade de cruzeiro tem uma matriz diversa. Ao futebol atacante entusiasmante apresentado um ano antes, sucedeu um outro menos espectacular, porventura mais entediante mas nem por isso menos eficaz e, diferença das diferenças, muito mais pragmático e resultadista. Não é isso que afinal interessa para que se consigam atingir objectivos?

3. A despeito de todo o mérito reconhecido no trajecto até agora conseguido, existem outras componentes exógenas logo incontroláveis, que podem vir a ter influência. Uma delas, a sorte (ou falta dela) e o acaso acabam por dizer quase sempre presente e podem vir a afectar o resultado final dos jogos e das competições. Foi isso que sucedeu ao Benfica na pretérita temporada, à excepção da final da Taça de Portugal onde, repete-se, a equipa foi ultrapassada pelos acontecimentos e acabou justamente derrotada. Mas quer no campeonato quer na Liga Europa a sorte nada quis com os encarnados e isso acabou por fazer quase toda diferença.

4. Esta temporada ver-se-á agora que estamos na fase crucial das decisões, mas é inegável que as coisas estão bem encaminhadas. E, muito importante, existe forte convicção no grupo de trabalho e nos adeptos de que é bem possível atingir mais objectivos. Para além do indiscutível mérito e de uma bem enraízada crença, aqui e ali (e esperamos que se mantenha) tem existido aquela pontinha de sorte que nos faltou objectivamente há um ano. É comum dizer-se que não há campeões sem sorte mas também que é preciso procurá-la. Pois bem, parece ser consensual que o Benfica a tem procurado e tem feito por merecê-la.

5. Enquanto aguardamos com serenidade pelos próximos dias 7 e 18 de Maio para disputar com o Rio Ave as finais da Taça da Liga e da Taça de Portugal onde naturalmente todas as expectativas são legítimas, amanhã tentaremos para já, repetir o que aconteceu no ano passado – atingir a final da Liga Europa. À nossa espera está uma tarefa muito difícil por um variado conjunto de circunstâncias, mas nem por isso menos aliciante. É nestas alturas, perante desafios de grande complexidade, que as grandes equipas dispõem da enorme oportunidade de se afirmar.

6. Têm sido muito comentados os fait divers empreendidos pela entourage da Juventus e forças adjacentes no sentido de tornar a situação mais favorável aos seus desígnios de estar presente na final depois de um resultado que com toda a probabilidade não contavam no desafio do Estádio da Luz. Pior do que isso, foi a demonstração exibicional de que o Benfica deu mostras o que naturalmente fez subir o grau de preocupações da equipa de Turim, dado que pelos vistos terão menosprezado a equipa encarnada e agora vêem-se forçados a correr atrás do prejuízo.

7. Contrariamente a muitas expectativas (onde também nos incluíamos), depois da estapafúrdia queixa sobre Enzo Pérez por suposta agressão a Giorgio Chiellino (e não Claudio Marchisio como erradamente escrevemos ontem), apresentada pela Juventus já um pouco em desespero de causa e da inesperada e célere apreciação por parte da UEFA do caso em apreço, o organismo que tutela o futebol europeu decidiu-se pelo arquivamento o que significa que o médio argentino estará disponível para o decisivo jogo de amanhã. É de facto uma boa notícia não só para o Benfica que assim pode ter à disposição o influente médio, mas para o futebol em si onde os melhores deveriam ter sempre lugar. Ao menos desta vez não houve mosquitos por cordas. Esperamos que amanhã também não os haja.






Bookmark and Share