Ponto Vermelho
Despedida e festa
4 de Maio de 2014
Partilhar no Facebook

Por Bolandas

Um ano volvido o futebol volta a despedir-se da Luz, em clima de festa e com um grande clássico de outros tempos. Com contas feitas e sem a habitual pressão... resultadista, reúnem-se deste modo os condimentos necessários para um bom espectáculo de futebol, neste confronto que opõe o novo campeão nacional a um Vitória de Setúbal da primeira metade da tabela. Os sadinos que, no meio de turbulenta época com eleições antecipadas de permeio e os crónicos problemas de tesouraria, no capítulo desportivo passaram incólumes e sem motivos de reparo do tribunal de Setúbal; época sem os sobressaltos de outras anteriores, e para a qual muito contribuiu José Couceiro.

Ainda assim, não se deduza por isso que a partida é apenas para cumprir calendário e pouco ou nada está em jogo. Isto porque, para além de invencibilidades e outros registos de somenos que embevecem sobretudo alguns dos nossos adversários, existem ainda assim objectivos mais importantes e que serão certamente levados em linha de conta. Em particular por parte do Benfica, cuja hora de (quase) todas as decisões se aproxima rapidamente e cuja equipa técnica aproveitará para limar arestas e refrescar a equipa. Desejará Jorge Jesus desde logo evitar lesões a todo o custo e gerir o esforço de alguns atletas de forma a que possam dar o contributo nesta fase final decisiva da época no máximo das suas capacidades, mas também manter a senda vitoriosa e o bom astral, com equipa e adeptos em sintonia ao sabor das vitórias.

O futebol não é de todo uma ciência oculta, mas não fossem os portugueses tão complicados como o é Jorge Jesus, que respira futebol e é tão dedicado ao pormenor, e certamente não engrossávamos o rol de mistérios de como um cantinho à beira-mar plantado e desgovernado, apenas notícia do mundo pelos piores motivos, conseguir qualquer coisa como 9 presenças lusas em finais europeias na viragem de século em tempos de petrodólares e rublos; ascensões vertiginosas em variadíssimos rankings; vendas de jogadores até há pouco tempo desconhecidos no mundo do futebol por quantias exorbitantes; etc, etc.

Acresce que, para além da queda e inequívoca competência que temos no fomento e no desenvolvimento de talentos no futebol e que podíamos emprestar a outras áreas da nossa sociedade tão carenciadas elas estão designadamente aos que aparecem sem qualquer mérito na hora das vitórias, temos ainda a forma intensa como vivemos o futebol e que faz com que as rivalidades que por vezes extravasam os limites do aceitável, obriguem os adversários a transcenderem-se e a trabalhar melhor; o FC Porto que ganhava até sem treinador que o diga este ano...

Feita a despedida da principal equipa de futebol desta Luz que tanto nos iluminou este ano - muitos defendem que o ponto de viragem foi aos 90 minutos da 2.ª jornada mas foi com as demonstrações inequívocas de superioridade ante FC Porto e Sporting que a onda benfiquista cresceu e se multiplicou... -, as decisões passarão pelo Jamor, Leiria e Turim, e poderão colorir ainda mais uma época já muito em tons de encarnado. O futebol prosseguirá ainda pelo Seixal onde o Benfica B quererá acabar bem a época e abandonar o presente ciclo negativo, e onde se esperam que as principais equipas de Juniores, Iniciados (bem perto estão...) e Juvenis comprovem o favoritismo e se sagrem campeões nacionais fazendo o pleno.

Tudo isto e muito mais na antecâmara de um Verão que reune todas as condições para ser bem mais feliz do que o anterior e no qual certamente os benfiquistas (algo de novo?!?) farão as principais despesas da silly season que já vai aproximando e que muito promete... Para o melhor e para o pior...

NDR: Outra despedida na Luz é a do Voleibol, que na respectiva finalíssima jogará a época - soçobrou na Taça de Portugal. Ante o Fonte do Bastardo, adversário que já nos fez saber o sabor da vitória e da derrota por várias vezes esta época, os pupilos de José Jardim quererão dar mais um passo firme rumo à hegemonia e dar uma alegria aos adeptos que neles tanto acreditam. Para tal é vital vencer e demonstrar que o trauma das fases finais são águas passadas, se possível contando neste forcing final com o apoio maciço do público benfiquista que em particular numa modalidade como o Voleibol, deve saber que faz toda a diferença o elevar dos índices de confiança dos atletas.






Bookmark and Share