Ponto Vermelho
Confirmação do esperado
28 de Maio de 2014
Partilhar no Facebook

O Presidente do Benfica em oportuna entrevista ao jornalista Hugo Gilberto (HG) da RTP confirmou em definitivo a continuidade de Jorge Jesus (JJ) ao comando da equipa encarnada por, pelo menos, mais esta temporada deixando em aberto a possibilidade de mais extensões. Apesar de ser uma informação aguardada pelos benfiquistas, a realidade é que as sucessivas declarações de JJ algumas com carácter dúbio, permitiram a especulação que se transformou rapidamente numa situação em que todos os cenários estavam em aberto. E, depois de um final de época a todos os títulos notável, a última coisa que os adeptos encarnados mereciam era o arrastamento de uma situação que não era positiva para nenhuma das partes, muito embora toda a problemática aparentasse estar sob total controle fosse qual fosse o desenlace. Mas visto de fora e sem dados objectivos e reais de análise, é tudo muito mais nebuloso, complexo e especulativo...

Um cenário idêntico justamente o oposto do vivido há um ano. Então, num cenário desgastante e de grande intensidade dramática face aos sucessivos tiros que nos atingiram, a grande maioria dos adeptos benfiquistas (e não só), conforme Luís Filipe Vieira (LFV) deixou expresso nas entrelinhas ontem à noite, bem como a conjuntura, apontavam para a saída de cena do treinador encarnado. Tal só não aconteceu devido à convicção pessoal de LFV que, conforme se comprova agora, em boa hora optou por renovar com JJ. De facto uma situação deveras paradoxal; um ano antes grande parte apontava-lhe a porta de saída, um ano depois, uma esmagadora maioria estava a fazer figas para que ele não saísse. A besta tinha-se transformado em bestial.

Aparte a principal questão que estava na origem da entrevista, devemos dizer com toda a franqueza que a mesma ficou um pouco aquém das nossas expectativas. Muito por culpa do entrevistador que talvez influenciado pela grandiosidade do local, mostrou estar em baixo de forma revelando alguma impreparação nas matérias a abordar com constantes saltos na condução da entrevista e cortando assim a sequência de matérias que interessava que tivessem sido desenvolvidas dentro dos limites possíveis. Porque, como se sabe, devido às contingências próprias das SAD’s e às obrigações perante a CMVM e ainda porque o segredo continua a ser a alma do negócio, nem tudo poderia ser esclarecido. Também já se sabe que nestas circunstâncias algo fica sempre por perguntar e alguma coisa fica sempre por responder. LFV revelou-se tranquilo e sereno indo até onde lhe era possível, HG sabe e pode fazer muito melhor.

Confirmada então a continuidade de JJ, a grande questão tem a ver agora com a completa definição do plantel. Uma tarefa que não é nada fácil devido a factores muito diversificados sendo que o mercado terá a última palavra. Face à carreira da equipa encarnada na época que ora terminou, era desde logo natural que os novos ricos que invadiram a Europa cobiçassem os jogadores que mais sobressaíram. Enquanto uma boa parte de clubes como o Benfica necessitam de alienar jogadores para equilibrarem a sua tesouraria e poderem cumprir as regras do fair-play financeiro, outros há que com a sua imensa disponibilidade financeira vão aliciando os atletas com contratos-milionários que não os deixa naturalmente indiferentes. Perante esse dado, é cada vez mais complicado manter os jogadores nas fileiras.

Essa é a grande dificuldade que actualmente se depara aos clubes com menores possibilidades financeiras. No momento em que essas generosas ofertas chegam aos clubes e aos jogadores, estes, na altura de escolher, trocam por norma a realização financeira pessoal pelo sucesso desportivo. É lógico e intuítivo. É por essa razão que clubes sem passado histórico que se veja conseguem contratar jogadores a outros cuja história não tem comparação. E depois o despautério do período de transferências estar aberto até finais de Agosto (com mais uns dias na Rússia) mantém os dirigentes e os adeptos sob uma espera angustiante até ao último dia, com a agravante de depois não ser possível colmatar eventuais saídas inesperadas. Uma situação imoral se atendermos que os campeonatos já estão por norma a decorrer.

Perceberam-se por isso as cautelas de LFV na abordagem deste tema. Confirmou que André Gomes e Rodrigo já não farão parte do plantel na próxima época, e, pelo andar da carruagem e devido a compromissos assumidos, existe a séria probabilidade de não se ficar por aí. Resta saber quando encerrar o período de transferências a extensão dos estragos, mas animou-nos a garantia que o Benfica está preparado para substituir de imediato eventuais partidas. O problema serão aquelas que possam acontecer na última hora que impossibilitam qualquer acção. De qualquer modo, como reafirmou LFV, não existem dúvidas que na próxima época perante as responsabilidades e expectativas que foram criadas, o Benfica apresentar-se-á com uma equipa forte e competitiva ao nível a que já nos habituou. E com as ambições de sempre!








Bookmark and Share