Ponto Vermelho
Prova comprovada…
6 de Julho de 2014
Partilhar no Facebook

1. Se algumas dúvidas ainda existissem acerca do tão proclamado fairplay no futebol com que essa tenebrosa organização chamada FIFA constantemente nos massacra, o Mundial do Brasil tem-se encarregado de demonstrar que não passa de uma tremenda falácia que nem toda a publicidade do mundo consegue desmentir. A evolução das sociedades e do Mundo em geral tem fomentado este descalabro e só prevalece e se desenvolve porque o poder do dinheiro manobra e influencia todas as envolventes que interessam ao negócio, afastando paulatinamente todos os contestatários do regime implantado e consolidado pelo brasileiro João Havelange e continuado pelo ex-coronel suíço Joseph Blatter que se prepara para também se eternizar no poder apesar de já não estar muito distante da provecta idade dos oitenta. O que significa que a cadeira de Nyon é tentadora…

2. Após a atribuição do presente Mundial ao Brasil (como sempre por razões políticas e essencialmente por questões económicas de retorno), alguns questionaram a oportunidade e todas as envolventes que apontavam para dúvidas sérias na empreitada dadas as questões logísticas e as fortes assimetrias que assolam a sociedade brasileira, apesar dos índices favoráveis de crescimento e desenvolvimento na era Lula. Mas se isso era um facto insofismável, a verdade é que o desenvolvimento não se processou de forma harmoniosa mas antes agravou as desigualdades entre cidadãos em que à boa maneira capitalista uns foram ficando mais ricos e outros (a esmagadora maioria) continuaram a arrastar-se cada vez mais na miséria. Por outro lado, em termos comparativos, o investimento nas vertentes mais importantes (saúde, educação, infraestururas, rede viária, etc) não passou de peanuts em relação ao investimento feito em Estádios de futebol (de acordo com o plano e caderno de encargos da FIFA).

3. Se acrescentarmos que o plano foi sendo executado com o fortíssimo contributo de tecnologia estrangeira em especial da alemã, temos que uma grande parte do retorno desses investimentos/melhoramentos vão transitar directamente para bolsos estrangeiros e apenas a parte mais pequena resultou em benefício directo do próprio Brasil, até porque para além do mais não pode ser omitida a questão da isenção de impostos que a própria FIFA assegurou logo à partida como estado independente da República de Nyon que faz questão de ser perante governos legítimos que acabam por permitir esta onda de despautérios face às promessas de canalização de investimento estrangeiro porque todos os países em dificuldades anseiam, e do retorno que este tipo de eventos lhes pode garantir mesmo que disso nada resulte de grandemente significativo para os próprios países.

4. A forte máquina publicitária da FIFA não se tem poupado a esforços para tentar demonstrar a toda a populaça que estamos perante o melhor Mundial de sempre. Mais uma vez uma teoria para enganar papalvos porque não se percebe minimamente em quê! Se estão a falar de infaestruturas e das estruturas complementares, os resultados estão à vista pois tem havido enormes carências em todos os aspectos, desde atrasos na edificação e na conclusão das obras nos estádios (que motivou até a preocupação pública da Organização, passando por problemas na área da hotelaria, na rede de transportes, na área da segurança etc, conforme têm dado nota os inúmeros jornalistas que estão a cobrir o acontecimento, que também têm feito ressaltar que a generosidade e a simpatia do povo brasileiro tem ajudado em muito a esbater as inúmeras deficiências organizativas que se têm registado.

5. Numa outra vertente há o aspecto estrictamente futebolístico. E aqui, pelo que temos observado, o nível está muito aquém do apregoado. Provavelmente não terá havido antes nesta mesma prova tantos jogos a serem decididos no prolongamento e através de pontapés da marca de grande penalidade; isto poderia ser interpretado como um factor de equilíbrio entre as várias equipas e da subida do nível competitivo. Não é verdade. Se temos assistido a jogos competitivos e com elevado grau de incerteza no resultado até final, a grande verdade é que o futebol praticado chega nalguns casos a ser confrangedor, em particular naquelas equipas tidas à partida como grandes favoritas à conquista do título. E, como se isso não bastasse, para além de resultados adulterados, tem havido verdadeiros atentados à integridade física dos jogadores mais criativos com árbitros complacentes que tudo permitem parecendo até recebido instruções para pouparem nos cartões e nas expulsões… Por tudo isto o balanço é negativo mas nada que preocupe a FIFA e seus apêndices pois as centenas de milhões não deixarão de ser cobrados e de ir parar aos seus bolsos sem fundo… E atenção; o próximo Brasil-Alemanha pode determinar novos graus de insatisfação do povo brasileiro que ainda pode não ter esgotado os seus protestos…










Bookmark and Share