Ponto Vermelho
E eis o primeiro jogo oficial!
9 de Agosto de 2014
Partilhar no Facebook

O tempo não perdoa e eis que é já amanhã que teremos em Aveiro o primeiro jogo oficial do Benfica na presente época com o companheiro frequente das finais da época passada e que se vão prolongar, sendo que desta vez aplica-se mesmo o velho adágio popular de que não há duas sem três… O que resta saber é se teremos a repetição do resultado das finais de Leiria e do Jamor, ou se teremos o inverso com o Rio Ave a conquistar a primeira Supertaça do seu historial nesta nova temporada ainda que o troféu esteja relacionado com a anterior.

Muito se tem falado do Benfica nos últimos tempos quase nunca pelas melhores razões, sobre as movimentações respeitantes a entradas mas sobretudo de saídas, desde consagrados a aspirantes ao estrelato que muito têm prometido. Tem sido um facto por demais evidente a razia no plantel encarnado de jogadores titulares que conquistaram um inédito triplete, o que significa que o Benfica que se apresentará em Aveiro reflectirá esse importante handicap. Ainda assim e perante os indícios de qual irá ser o onze titular, não se pode escamotear que os encarnados se apresentam à partida como favoritos a arrecadar a Supertaça Cândido de Oliveira.

No entanto, estamos perante um jogo de início de época em que o Benfica para além de alguns regressos que naturalmente estarão com alguma falta de ritmo embora possam contrabalançar com experiência, apresentará igualmente algumas novidades. A pré-época por um conjunto de razões exaustivamente discutidas na praça pública pelos plumitivos e pelos adeptos adversários que se têm deliciado com os acontecimentos que têm fustigado o Benfica, foi demasiado ineficiente para uma equipa com as aspirações do Benfica e que tanto brilho tinha atingido até poucos meses atrás, o que levou como é óbvio a uma profunda desilusão nos adeptos e simpatizantes benfiquistas que ainda esfregam os olhos para confirmar se estão a observar mesmo a realidade.

Por sua vez o Rio Ave com menos mexidas na equipa ainda que seja comandado por um novo mas competente treinador, está com a preparação mais adiantada por força da disputa da pré-eliminatória de acesso à fase de Grupos da Liga Europa e está, como é previsível, moralizado pela eliminação dos suecos do IFK Gotemburgo com uma vitória tangencial no terreno do adversário e um empate no seu reduto em que se limitou a gerir, com êxito, o apuramento na eliminatória. É portanto natural que a equipa vila-condense e o seu treinador que vergou o Benfica na primeira jornada do campeonato da época passada quando ainda estava no Marítimo, acalentem fundadas esperanças de fazer história na Supertaça.

Terá pois que ser um Benfica o mais competente possível dentro das suas actuais limitações a entrar no Estádio Municipal de Aveiro, sob pena de continuarem as desilusões da pré-época. É de facto no actual contexto um jogo de capital importância para os encarnados que poderá vir a ser determinante para o resto da temporada que aí vem, particularmente no aspecto psicológico da equipa e dos adeptos. Tendo em conta o adversário e o favoritismo que lhe é atribuído, o Benfica praticamente só tem a perder; se vencer dirão os comentadores que não fez mais do que a sua obrigação, mas se vier a não conquistar o troféu, as críticas abater-se-ão impiedosamente sobre a equipa e sobre a estrutura encarnada, e os adeptos e simpatizantes agravarão as suas desconfianças sobre a equipa.

É por todo esse conjunto alargado de razões que o encontro será disputado num ambiente muito especial e, a crer no que tem sido divulgado, o estádio apresentar-se repleto com uma falange de apoio vilacondense significativa. A grande maioria será naturalmente benfiquista o que prova que, mau grado o que se passou até aqui, os adeptos acreditam e não esmorecem no apoio à equipa que necessita dele agora mais do que nunca. É pois muito importante que a equipa dentro do campo saiba corresponder a essa expectativa e a esse apoio tentando de princípio a fim manter a determinação, o empenho e a concentração. Ninguém está obviamente à espera que venha a ser um grande jogo; por um lado o Rio Ave poderá apresentar algum cansaço derivado do jogo de 5ª feira, por outro o Benfica não jogou até agora nunca de forma consistente. Mas, mesmo com tudo isso em mente, quando os jogadores pisarem o relvado do Municipal será para tentar levar de vencida o adversário. Esperamos, obviamente, que seja o Benfica para afastar de vez todos os fantasmas que o têm atormentado.








Bookmark and Share