Ponto Vermelho
A minha visão sobre a entrevista de LF Vieira
19 de Agosto de 2014
Partilhar no Facebook

Por EagleView

1. No Benfica, como grande clube que é com uma variadíssima diversidade de pensamentos no seu universo, é natural que sempre que aconteça qualquer facto mais relevante se multipliquem as opiniões e os comentários quer dos nossos adversários, quer da Comunicação Social (CS), quer dos adeptos. Dos anónimos aos mais conhecidos passando obviamente por ex-dirigentes. Todas as opiniões são legítimas desde que expressas com urbanidade e sentido crítico real, sejam elas favoráveis ou desfavoráveis. O que não deve acontecer é os adeptos deixarem-se influenciar por questões do foro pessoal que acaba por influenciar e retirar objectividade ao que pretendem transmitir, prejudicando a análise. A favor ou contra.

2. Nesse capítulo insere-se a entrevista que o Presidente do Benfica concedeu à Benfica TV em que explanou os seus pontos de vista sobre diversos temas quentes da actualidade, dentro de algumas limitações que me dispenso de referir por serem demasiado evidentes. Entrando propriamente nos principais itens, diria que em minha opinião foi tudo tão óbvio que nem necessitava de ouvir as explicações do presidente do clube. Chupeta é algo que eu não necessito há muitos anos, mas parece que há muitos benfiquistas que ficaram consolados. Enfim, feitios, mas ainda bem para eles!

3. Já sabia de antemão de que não haveria problemas com os bancos e tive oportunidade de já o ter afirmado. Os bancos não são diferentes de qualquer outra empresa pois têm o mesmo objectivo que é no fim de contas de ganhar dinheiro, de preferência com os bons clientes que rendem mais. O Benfica é um cliente muito bom e cumpridor e não foi por acaso que LFV afirmou que nos últimos 10 anos o Benfica tinha liquidado cerca de 200 milhões de juros. A renegociação dos empréstimos não irão ter qualquer problema para desespero dos criadores de ruído e de alguns jornalistas e comentadores de outras cores pouco ou nada isentos. Tudo o resto não passou de barulho - boatos, teorias da conspiração, insinuações graves, mentiras, meias verdades, etc. - feito exactamente pelas mesmas pessoas que têm mantido uma campanha contra o Benfica cuja proveniência é fácil de observar, como também já aqui tive ocasião de o afirmar.

4. Já tive igualmente oportunidade de referir noutro sítio que o empolado caso Luisão mais não era do que um atirar de barro à parede e que era uma notícia falsa. Mais uma vez somos confrontados com mentiras na CS quando afirma que a Juventus estava a negociar o Luisão, o que não é verdade! Analisem todos os contornos de forma pragmática e depois concluam… Quanto às saídas de Enzo Pérez e de Nico Gaitán, lembra-me a mesma campanha que tentaram fazer para ver o Jorge Jesus pelas costas. Não conseguiram e mais uma vez a estratégia falhou. Os jogadores ficam a não ser que batam as cláusulas de rescisão. Naturalmente!

5. Ao contrário das mentiras e inverdades da CS, nunca houve qualquer reunião marcada com o empresário Peter Lim, com o Mónaco, etc. ou com outro qualquer por causa da venda de Enzo Pérez ou Nico Gaitán. Tudo é fruto de imaginações demasiado férteis e direccionadas e engloba-se na campanha existente que já tive oportunidade de denunciar por mais do que uma vez. Quanto ao resto, o Benfica não tem nem nunca teve problemas de tesouraria nos últimos 10 anos e perspectivo que venha a ter cada vez menos no futuro, justamente quando verificamos que irá ser ainda mais rigoroso no controlo dos custos operacionais e quando ao mesmo tempo constatamos que os proveitos operacionais continuam a aumentar!

6. As explicações sobre o caso Ezequiel Garay coincidem quase exactamente com aquilo que veio a lume e que foi revelado pelo jornalista José Marinho. Ao contrário do que afirmaram alguns trolls que logo vieram a terreiro dizer que era tudo mais uma das invenções de minha autoria. Por outro lado, não deixa de ser engraçado e até mesmo divertido, que o Atlético Madrid para tentar contratar um jogador do Benfica (segundo julgo terá sido Nico Gaitán) tentaram devolver o fugitivo Jan Oblak à proveniência mais uma certa quantia em dinheiro. Vieira fez o que devia declinando prontamente oferta tão generosa. É claro que para papalvo ler, o Atlético de Madrid como seria de esperar veio posteriormente a negar em comunicado. Mas se repararam, Vieira não referiu que tinha sido o Atlético de Madrid a propôr o negócio directamente mas sim através de um empresário devidamente mandatado. À bon entendeur








Bookmark and Share