Ponto Vermelho
FC Porto: o que parece ser e o que será
23 de Agosto de 2014
Partilhar no Facebook

Por EagleView

1. A autêntica revolução que está a ocorrer na equipa de futebol do FC Porto a fim de evitar desesperadamente que o Benfica renove o título de campeão e acabe de vez com o mito portista, tem tido, como é óbvio, um amplo destaque na comunicação social. Contrariamente à armada sérvia da temporada passada, dos camiões e camionetas ou das pázadas ou carradas para o plantel do Benfica, observa-se desta feita, comentários e crónicas muito mais comedidas e até esfuziantes em relação à vaga da emigração espanhola para a plantilla azul e branca.

2. Diria até que se nota um febril entusiasmo e a intenção subserviente de validar a contratação de vários suplentes das principais equipas do país vizinho remunerados a peso de ouro. Se irão corresponder ou não às inúmeras loas que têm sido engendradas e tecidas na sempre solícita comunicação social portuguesa e que têm levado os adeptos pintistas ao rubro é o que se verá a seguir, onde os inúmeros craques terão fatalmente de fazer prova da categoria previamente anunciada como solução para todos os males portistas. Para já a coisa está a correr bem mas estamos no início e o campeonato terá 34 jornadas…

3. Do meu simples ponto de vista penso que os jogadores que arribaram ao FC Porto, embora alguns sejam um upgrade em relação aos quase 30 que já saíram, não são assim tão bons. Julgo que o único que era titular na equipa de onde veio é o Ibrahimi (+ Martins Índi no Feyenoord) que era titular no Granada, dos clubes mais fracos de La Liga. Outros eram suplentes de equipas espanholas de topo, embora eu não ache que a diferença entre os campeonatos português e espanhol seja assim tão grande que suplentes de equipas como Real Madrid, Barcelona e Atlético Madrid sejam melhores, em geral, do que muitos dos titulares dos nossos 3 grandes.

4. Na generalidade, não acho a diferença tão pronunciada. A prova é que jogadores saídos do Benfica para o RM, por exemplo, têm dado cartas em Espanha. Tello, Adrián e Casemiro eram jogadores que os clubes se queriam ver livres porque não tinham lugar. Para além disso, saíram 3 dos 4 melhores jogadores da equipa (Helton, Mangala e Fernando), mas os substitutos são piores. Jackson é o 4.º, está na porta de saída e não irão encontrar melhor, e a surpresa do ‘miúdo’ Rúben Neves que parece estar a pegar de estaca poderá representar porventura o oásis. Mas deixem passar a surpresa e a poeira assentar e os outros clubes perceberem como eles jogam e irão ver o balão a esvaziar.

5. Mais uma vez insisto neste ponto; a propaganda da ditadura azul e branca continua, tentam manter a bolha em que têm vivido nos últimos 30 anos, bolha essa que se tem esvaziado lenta mas continuamente nos últimos 3-4 anos. Tentam agora executar outro dead cat bounce, com a ajuda de Jorge Mendes (JM) na tentativa de lhes mudar o destino do plano inclinado em que se encontram. Não irá acontecer, como não o fez o último registado na época Villas-Boas, na altura com uma ajuda maciça dos árbitros e de uma intensa campanha de descredibilização do Benfica na Comunicação Social e dos sempre disponíveis talibans, semelhante à que somos confrontados hoje, mas com uma diferença; o Benfica actual não é o Benfica frágil de então.

6. O tug of war de que tenho falado que LFVieira mantém com o rei-sol mantém-se e tem tido consequências nefastas para as contas pintistas. É só esperar que os efeitos se concretizem. Começou com as sucessivas e desesperadas tentativas falhadas de desviar Jorge Jesus, depois com o fecho de informações sobre jogadores que o Benfica pretendia contratar, descambou nas compras do Danilo e Alex Sandro, com o Paulo Fonseca e contratações falhadas do ano passado, chegando ao atual estado de coisas em que tiveram de pedir ajuda a JM (30 Milhões) e ir buscar um treinador espanhol que os ajudasse a escolher jogadores. O desespero foi tal que deram carta branca ao duo.

7. Mas, afinal, o rei-sol não era o maior em contratações e conhecimentos de futebol com sempre nos fez crer a propaganda pintista prontamente ampliada pelos cronistas oficiais e oficiosos do regime e da CS do costume? As manobras não podiam estar ausentes, pediram ajuda a JM para tentar esvaziar a equipa do Benfica. Fizeram-no no tempo de Hulk, quando vieram buscar Witsel e Javi, com poucos resultados práticos. Ficámos ainda mais fortes. Não será a conquista do campeonato, evitando que o Benfica conquiste o 2º o que é apenas uma questão de tempo, que irá melhorar as contas do FC Porto em estado lastimoso.

8. A única coisa que o faria será se conseguirem uma campanha vitoriosa na Champions que dê visibilidade aos jogadores para os poderem vender com mais valias significativas. Mas as coisas pioraram, pois 3-4 jogadores já nem são seus, venderam as jóias da coroa, algumas para pagarem dívidas que vieram do ano passado, endividaram-se junto de JM e actuam como os desesperados quando fogem para a frente, empurrando as dívidas com a barriga…

9. Estão em contra-ciclo com o Benfica que está a fazer exactamente o contrário, diminuindo o passivo sem tentar perder a qualidade do plantel. E porquê? Para quem detém algum domínio dos negócios bolsistas como é, modéstia à parte, o meu caso, afirmaria que o Benfica encontra-se num Bull Market de há 10 anos a esta parte, enquanto que os pintistas encontram-se num Bear Market desde há 5 anos. E isso faz toda a diferença. Prevejo por isso, com algum grau de previsibilidade certeira, que as coisas não irão mudar tão depressa.


Bookmark and Share