Ponto Vermelho
“Os Dogmas do FCP”-II
3 de Outubro de 2014
Partilhar no Facebook

EagleView

Prossigo com a 2ª parte do artigo publicado por Alberto Miguéis no blogue "Em Defesa do Benfica" sobre os dogmas do FC Porto:

Antes e Depois: - Um dos dogmas que mais recentemente têm sido reforçados dentro do Pintismo portista é o do Dia e da Noite. Do Tudo e do Nada. Do Antes e do Depois. E que é a ideologia do Museu do FCP, by BMG. Antes de Pinto da Costa o FC Porto nada ganhava. Quase nem existia. Porque a sua existência era vegetativa. Depois com Pinto da Costa refundou-se o Clube. Como que a dizer, se todos fossem como Pinto da Costa, se soubessem defender o FCP, o FCP ganhava tudo.

O "problema" é que não podiam ter feito corrupção como Pinto da Costa. Eram presos. O FCP ganhava à sua dimensão. E ganhava muito. Na sua região - campeonatos regionais e outras competições no âmbito da AFP - ganhava praticamente tudo. Dizimou os outros clubes (Académico, Salgueiros, Boavista, Progresso) . Nem que fosse à força, como no caso dos "Andrades" ("Progresso") no início dos anos 30. Por isso era odiado na cidade. E ainda é. Só nos subúrbios da Invicta é que tem apoio. Porque o tempo tudo faz esquecer, e há muito desenraizamento de valores.

A nível nacional foi o primeiro a ser campeão de Portugal (1921/22) depois equiparado a Taça de Portugal, pela FPF, em 1939. O primeiro a conquistar a I Liga (1934/35) depois equiparado a campeonato nacional, pela FPF, em 1939. O primeiro a conquistar um Bicampeonato. O segundo a conseguir - igualando o Benfica - três títulos de campeão nacional. Tudo antes do Sporting CP conseguir o primeiro título de campeão nacional.

O FCP ganhou menos que o Benfica e Sporting CP porque era de uma região menos populosa que Lisboa e com menor poder económico, baseada numa economia de desigualdades, onde estas eram maiores do que a existente na Grande Lisboa (Indústria pesada e comércio grossista). No Grande Porto (indústria familiar e comércio retalhista) os ricos são mais ricos e os pobres são mais pobres. Desde o tempo do Marquês de Pombal - desenvolvimento da região vinhateira do Douro - que é assim. Grande Porto, em termos económicos, não é comparável a Manchester/Liverpool, à Catalunha, a Milão/Turim, etc. É comparável a Salónica, Craiova, Sampetersburgo, etc. Mesmo assim ainda ostracizava e achincalhava os pequenos clubes da cidade e arredores levando o ódio ao FC Porto a metade dos habitantes...

Refundação em 1893: - Outro dogma é o da fundação em 28 de Setembro de 1893. Quando entre 1907 e 1987 foi sempre comemorada tendo como referencial 2 de Agosto de 1906. Uma decisão que se sabe foi tomada por Pinto da Costa depois de 2 de Agosto de 1986 quando lhe foi sugerida por Rui Guedes, autor da "Fotobiografia do FC Porto", quando este andava a preparar a edição do livro, publicado em 1987. Livro que está proibido de ser reeditado por conter muitos documentos com data de fundação 2 de Agosto de 1906.

Além disso Rui Guedes dá a entender que descobriu a data de 28 de Setembro de 1893 quando é falso. O notável portista António Rodrigues Teles que acompanhou e historiou o FCP praticamente desde o inicio já tinha analisado o assunto e percebido que não tinha havido ligação entre os dois clubes, apesar do nome e porque o de 1893 não passou de um repto lançado apenas num jornal de Lisboa para desafiar os futebolistas da cidade de Lisboa a defrontarem os da cidade do Porto.

Consta - foi dito pouco tempo depois da resolução da assembleia geral de Fevereiro de 1988 que alterou a data de fundação - que Pinto da Costa pressionado, por associados e alguns dirigentes que faziam parte da sua lista de gerência pelos maus resultados após a sua eleição como presidente em Março de 1982 assegurou que seria "até capaz de alterar a fundação do Clube e que conseguiria mudar na comunicação social a data de 2 de Agosto de 1906 para 28 de Setembro de 1893". E conseguiu. Provavelmente até com mais facilidade do que pensaria, a ser verdade que ele disse o que se disse - em finais dos anos 80 - que disse (por volta do aniversário dos cinco anos, da eleição ou tomada de posse - Março/Abril de 1987 - de presidência)!

A refundação é uma mentira grosseira. Um dogma com que Pinto da Costa goza pois até conseguiu inventar uma nova data de fundação para o clube e ajoelhar tudo e todos!
1.º - Se o FCP tivesse sido fundado em 1893 o seu fundador, António Nicolau d' Almeida tinha esclarecido o assunto. E teve muitos anos para isso pois faleceu em 1948. Teve 42 anos para repor a "verdade"!
2.º - Se o FCP tivesse sido fundado em 1893 António Nicolau de Almeida mesmo não podendo jogar (o dogma encena uma proibição por parte da esposa!) nada o impedia de ser associado do FCP!
3.º - Se o FCP tivesse sido fundado em 1893 o clube não andava até 1987 enganado!
4.º - Se o FCP tivesse sido fundado em 1893 não se homenageava José Monteiro da Costa como fundador desde que faleceu em 1911 até 1987 (Pinto da Costa ainda esteve no cemitério de Agramonte em 2 de Agosto de 1986)! E com romagens anuais publicitadas nos inúmeros jornais da cidade António Nicolau d'Almeida nunca ficaria "impávido e sereno"! Nada disse ou esclareceu, porque nada havia a dizer ou esclarecer!
5.º - Se o FCP tivesse sido fundado em 1893, em 1906 - 13 anos depois - não se ignorava essa fundação! Os fundadores de 1906 desconheciam a existência desse FCP de 1893! Até da existência de futebol na cidade!!!!!!!!!!!!!
6.º - Se o FCP tivesse sido fundado em 1893 sabia-se a data da fundação não tendo necessidade de utilizar - por nada haver - o dia da edição de um jornal de Lisboa em que se publicou um repto de velocipedistas - cycles - do Porto a futebolistas de Lisboa. E logo com notícia da fundação escrita no dia em que o Clube foi... fundado! Num tempo em que uma carta demorava dois ou três dias a chegar a Lisboa vinda do Porto! Que pontaria! (Apesar das letras da data surgirem sempre bem pequenas para não se perceber que a data do jornal é a data do dia da fundação).

Arbitragens:- Dogma. Não ligam aos árbitros, só se interessam pelo futebol "jogado nas quatro linhas" mas... nunca quiseram, através da Associação de Futebol do Porto (como maior associação regional do País), escolher o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (davam a Lisboa - AFL, 2.ª maior), o presidente do Conselho de Justiça (davam a Braga - AFB, 3.ª maior), o presidente do Conselho de Disciplina (davam a Aveiro - AFA, 4.ª maior), para poder escolher o presidente do Conselho de Arbitragem, 4.ª na hierarquia!

Sport TV:- Dogma. A Olivedesportos nunca quis desenvolver o espectáculo - futebol português - do qual vivia: as transmissões de jogos do Benfica, Sporting CP e FC Porto. Ao Benfica davam "tostões" para recolher "milhões" que distribuíam pelo FC Porto e Sporting CP (enquanto vigorou o Projecto Roquette).

Jornalecos e jornais:- Dogma. São perseguidos pelos media, principalmente os de Lisboa. Mas têm jornais arregimentados - O Jogo, Jornal de Notícias e Diário de Notícias (através da Controlinveste); e Público (da Sonae do portista, ex-dirigente do FCP, Belmiro de Azevedo). Em "A Bola" têm uma redacção norte de fanáticos e colunistas inenarráveis como Miguel Sousa Tavares e Pedro Marques Lopes. Do Benfica Bagão Félix e Fernando Seara. Quem?! Dâmaso Salcede!


















Bookmark and Share