Ponto Vermelho
Não há mesmo hipótese...
18 de Janeiro de 2013
Partilhar no Facebook

Não constituindo propriamente qualquer surpresa, prosseguem em bom ritmo as tentativas azuis e brancas de adulterar por completo todas as incidências registadas no clássico para levar a opinião pública a concluir que o resultado final acabou por prejudicar o clube azul às riscas. E, mais importante do que tudo isso, tentar condicionar de uma forma deliberada as nomeações e as futuras arbitragens. À boa maneira do 'Grande Timoneiro' que por norma coloca sempre um grande empenho e dramatismo nestas estratégias golpistas que têm feito escola no Futebol português. Desta vez, porque a imaginação já não é o que era, não tivemos direito à fina ironia e, quando assim acontece, o resultado tende a ser sensaborão e um completo fiasco.

É manifesto que todos os que presenciaram os acontecimentos têm direito à sua opinião que pode diferir de uma forma substancial do que se registou, o que é natural. Porque aparte os que presenciaram o espectáculo ao vivo, existem os opinadores de sofá que comentam, criticam e até vilipendiam a partir da 15ª repetição televisiva em slow-motion que é servida consoante as jogadas, os intervenientes e naturalmente os clubes em causa. Só regressamos ao tema porque apesar de intensamente escalpelizado, continuam a existir plumitivos portistas e aparentados que continuam a insistir na tecla da mistificação e isso não aceitamos sem que possamos contrapor a versão da realidade que não é a nossa mas sim a que se passou dentro das quatro linhas.

Falhada a nomeação de Proença (como deve ter custado à excelsa estrutura que ele não tivesse sido nomeado) apesar de terem urdido vários estratagemas a começar pelo adiamento do jogo de Setúbal para, além de anularem as desvantagens manifestas do estado do terreno, abrirem caminho para que o melhor árbitro português além fronteiras fosse nomeável, importa agora concentrar o fogo na equipa de arbitragem nomeada que, a partir de agora, jamais vai merecer a suprema honra de ser visita da Madalena guiada através da moderna tecnologia que o «Querido Líder« faz questão de ostentar, ou ainda de uma sentida homenagem na Associação de Futebol do Porto presidida por um elemento da dinastia dos Pintos.

Esperar que algo mude nesse aspecto é pura e simplesmente tempo perdido. E quando um nóvel deputado afecto ao clube das riscas imbuído do espírito trauliteiro e reaccionário que caracteriza as gentes aparece a classificar o Benfica de salazarento, percebe-se perfeitamente que nunca a mentalidade bacoca e o complexo de inferioridade irão mudar. Quem está familiarizado com os pântanos jamais se habituará a viver em sociedade de padrões democráticos, de acordo com as normas exigíveis a um estado que sendo tolerante, não pode permitir que qualquer um evocando regionalismos de pacotilha, se torne insolente para com membros da própria sociedade que lhe permitiu alcandorar-se a um posto para que manifestamente não tem vocação, nível intelectual ou competência democrática. E naturalmente dá no que dá!

Para avaliar o desvario a que chegaram alguns pintistas incluindo o seu representante máximo, basta atentar no episódio com o resultado que em determinada altura surgiu no site da Liga de Clubes. Quando um presidente de um clube evoca uma minudência que se detectava facilmente ter sido um mero erro de actualização, acolitado por vários papagaios e araras da sua floresta privada, tal demonstra que existe um enorme nervosismo no Dragão. Sabemos bem que na sua estratégia mesmo que sejam peanuts, desde que reúnam algum sumo são aproveitados para fazer banzé para querer demonstrar que existe uma enorme conspiração contra a estrutura azul à riscas, servindo tudo isso de motivação para lutar contra tudo e contra todos. Dispensamo-nos, por motivos de poluição, de lembrar quem popularizou essa tirada motivadora...

Não resistimos todavia a evocar uma situação similar; no recente jogo que o Benfica disputou na Amoreira numa altura em que os encarnados venciam por 1-0 e quando Lima marcou o 2º golo encarnado, o marcador da Sport TV foi actualizado com 1-1 (entretanto rectificado). Alguém ouviu algo a qualquer elemento da estrutura afirmar que era uma conspiração tenebrosa? Pois, é a tal pequena linha que estabelece a diferença... e que serve para agitar as águas quando convém, na convicção de que há sempre alguém para dar atenção e ampliar factos de lana caprina. É no fundo uma questão de maneira de ser e de estar muito próprias que apesar de muito batidas continuam a dar os seus frutos...

Em boa verdade é deprimente e limitativo estarmos sempre a abordar aspectos recorrentes do Futebol português, quando na realidade devíamos estar a concentrar-nos em aspectos mais importantes e transversais. Mas pelos vistos, é quase impossível ir por e para aí, dado que o pintismo requer que estejamos atentos e tenta sempre conduzir a discussão para patamares de baixo quilate desde que lhe sirvam os seus interesses que o tornaram tal como é, assistindo a constantes cenas de lavagem dos vários aspectos duvidosos em que se tem visto sistematicamente envolvido e que uma legião de freteiros e de yes-men se esforçam, diariamente, por apagar...






Bookmark and Share