Ponto Vermelho
A incubadora
20 de Janeiro de 2013
Partilhar no Facebook

Enquanto prossegue em bom ritmo o perdoa-me de Lance Armstrong que a exemplo de outros casos noutras modalidades e na vida, vai ser o vilão para que possam escapar às malhas da verdade desportiva centenas, quiçá milhares de outros que navegaram (e continuam a navegar) nas mesmas águas turbulentas, cá no burgo também tivemos um episódio semelhante com o treinador azul às riscas Vítor Pereira. Inspirado pela confissão do norte-americano mas seguramente aconselhado pela estrutura que tudo salvaguarda, resolveu também pedir desculpa não se percebeu bem de quê, mas parece que teve algo a ver com o show de irritação que demonstrou no final do clássico de Domingo passado. São os fait-divers à portuguesa que servem para nos entreter quando estamos depauperados, coisa que acontece agora amiúde desde que a Santíssima Trindade chegou a São Bento.

Não é só a Troika do nosso descontentamento e a senhora Merkel que estabeleceram protectorados a Sul. Muito antes de eles terem chegado ao antro dos descobridores de Terra de Vera Cruz, já futebolisticamente falando, o FC Porto de Pinto da Costa tinha estabelecido uma colónia em Alvalade, pelo que está na altura do Querido Líder começar a exigir direitos de autor que são sem dúvida merecidos. O seu a seu dono. Se fizermos uma retrospectiva desde o início do século, observamos sem a menor dificuldade que ultrapassada a ameaça do bug que se perspectivava para a dobragem do século, o Sporting perdeu parte da sua identidade e transformou-se numa extensão do seu grande amigo da Invicta. Foi uma opção como qualquer outra e naturalmente agora retirará os benefícios e os prejuízos dessa santa aliança com o partido maioritário. Na vontade, na acção, na iniciativa, enfim em tudo como se tem visto, e pelo que se observa se continuará a verificar.

Numa daquelas brilhantes iniciativas que deixa siderado qualquer pacato e inocente cidadão e que tem como objectivo destruir o pouco que ainda resta, o (des)governo que temos resolveu através da eutanásia extinguir a histórica Maternidade Alfredo da Costa que deu à luz tantos e tantos brilhantes cidadãos deste País que sofre a ameaça latente de deixar de o ser. E situando de novo a questão no foro futebolístico, desta vez foi o FC Porto que numa acção bem urdida encontrou a possibilidade alternativa em Alvalade, não sabemos se por lá já existir uma clínica do foro privado que estará certamente de fora destas cogitações conjunturais em que o Querido Líder é mestre diplomado de pleno direito.

Nasceu assim a clínica e incubadora de Alvalade que até ver é um êxito retumbante, pois quer através do sector de formação quer via aquisições no mercado, está a dar cartas que depois são êxitos no Dragão. Correm até já rumores que o FC Porto está seriamente a equacionar acabar com o seu Departamento de Scouting, pois Alcochete e Alvalade têm capacidade suficiente para suprir as necessidades do Dragão. E no tocante ao restante mercado externo também não há problema dado que o que estiver em falta será missão do seu arqui-inimigo da Luz que se encarregará de descobrir os talentos. No leilão fictício que ocorre no final como se sabe, será apenas uma questão de pagar mais umas chorudas comissões aos empresários, seus ajudantes e aos dirigentes e a vitória está de antemão garantida. Tão simples quanto eficaz!

De facto, aquilo que já se transformou num hábito de todas as épocas – a ida dos inadaptados de Alvalade para o Dragão –, configura uma realidade indiscutível e que num cenário de independência que infelizmente não se verifica, já deveria ter merecido uma atenta reflexão dos dirigentes do leão. Porque não se trata de um qualquer simples profissional à procura de um novo desafio, mas tão somente mais um jogador que constatou que Alvalade não é propriamente um desafio. Começam a ser demasiados casos para que o tema possa ser tratado como simples coincidência e, admitindo que vai continuar, é de crer que doravante que os próprios jogadores (em particular os não-europeus) passem a encarar Alvalade como a sua ante-câmara de entrada no Dragão para abrirem por sua vez a porta da Europa. Logo, o futuro do Sporting nesse particular parece ser risonho e inclusive abre caminho a uma mais profícua colaboração com o clube de azul às riscas.

Mas, por outro lado, as movimentações que se têm verificado são de molde a causar alguma preocupação nos bastidores do leão. É que já não tarda assim tanto a deslocação do FC Porto a Alvalade. E aí, apesar de ser um jogo disputado entre dois clubes amigos o que não deixamos de saudar, os portistas vão como é óbvio querer levar de vencidos os leões. E pelo rumo que as coisas estão a tomar, é perfeitamente crível que o trio João Moutinho-Ismailov-Liedson (o tal que saiu lavado em lágrimas quando abandonou Alvalade) tenha a motivação suficiente para fazer das suas e quem sabe, gizar uma jogada entre os três que acabe em golo, o que poderia redundar em alguma humilhação para os verdes e brancos. Ou será que devido ao passado colaboracionista termina em aplausos?








Bookmark and Share