Ponto Vermelho
O 'caso' Maxi Pereira
4 de Dezembro de 2014
Partilhar no Facebook

1. Aproximando-se a passos largos a janela das transferências de Janeiro, está em curso a mesma situação de todos os anos por esta altura; os jogadores do Benfica que irão ser transferidos contrabalançada por ténues notícias sobre remotas aquisições. Curiosamente para a imprensa nos nossos principais adversários Sporting e FC Porto reina uma enorme acalmia, sendo que no primeiro fala-se apenas que está em equação a aquisição de mais um defesa-central e no segundo, o plantel parece não ir sofrer qualquer mutação. Não se começou no entanto a falar dos eventuais excedentários (situação comum aos três), talvez porque isso é um assunto menor e, como tal, não justifica parangonas…

2. No fim do próximo mês saberemos com exactidão distinguir a realidade da ficção e da especulação propositada, mas é inegável que aproximando-se mais um ciclo complicado a seguir a um adeus à Europa, estas constantes notícias não deixarão de causar alguma instabilidade em alguns jogadores encarnados, susceptível de se agravar pelos chamamentos incessantes que de há um ano a esta parte chegam com abundância do Mestalla… Um corropio que anima algumas hostes e está a preocupar outras mais sensíveis ao noticiário diário…

3. Um dos temas reais que está em equação é a renovação do nosso El Mono que, a exemplo da última, está a arrastar-se mais tempo do que muitos desejariam. E como se isso não fosse suficiente, regularmente fazem questão de nos lembrar que Maxi Pereira está a cumprir o último ano de contrato ficando livre de assinar por qualquer outro clube a partir precisamente do próximo Janeiro. Sendo certo que só quem está no convento sabe o que lá vai dentro, está bom de ver que o que possa ser dito corre inevitavelmente o risco de não corresponder com exactidão à verdade dos factos em presença.

4. É de facto um caso que merece alguma reflexão sobretudo para que a emoção e o reconhecimento não se sobreponham à ponderação e à racionalidade sempre necessárias em circunstâncias como estas. Porque a trajectória de Maxi no Benfica desde que vestiu pela primeira vez o manto sagrado, justifica uma análise ponderada e cuidada para não prejudicar qualquer das partes. Visto do exterior parece haver mais uma vez sintonia na vontade de prolongar o vínculo mas, como é óbvio, qualquer uma delas não deixará de pugnar pelos seus interesses.

5. Já foi por diversas vezes realçado que numa época em que o mercenarismo está a ditar as suas leis, Maxi tem sabido honrar os seus compromissos e, para além de uma garra que faz furor entre os adeptos que compensa algumas limitações de ordem técnica, tem tido um comportamento exemplar, sendo que isso mesmo já foi reconhecido pelo próprio presidente encarnado ao homenagear o atleta e a sublinhar que ele tem o verdadeiro espírito do jogador 'à Benfica'. Aconteceu por mais do que uma vez que Maxi chegou a sacrificar as férias para jogar pelo Benfica. Logo, estamos perante um atleta querido no universo benfiquista que tem memória.

6. Contudo, no meio de todos estes factores positivos, tem havido uma sombra constante constituída pelo seu empresário que faz da excentricidade um modo de vida potenciada pelas disponibilidades financeiras que o tornam numa das pessoas mais abastadas do Uruguai. Depois da rábula registada com o processo de Cristian Rodríguez que depois de ter acordado verbalmente a renovação com o Benfica acabou, por instigação de Casal por roer a corda e rumar ao FC Porto de Pinto da Costa, a desconfiança instalou-se nos dirigentes encarnados. Arriscamo-nos mesmo a afirmar que se não fosse a vontade de Maxi prevalecer, se calhar o jogador já não morava na Luz há algum tempo.

7. Não estamos, todavia, a dizer que nos encontramos agora perante o mesmo cenário. Desconhecemos o que estará a emperrar a conclusão do processo mas é natural que, de parte a parte, estejam a ser analisadas outras variantes dado que Maxi já faz parte do glorioso clube dos trintões e, enquanto tal, poderão já não ser muitas as oportunidades de estabelecer o tal último contrato. Por sua vez o Benfica também pretenderá, como é natural, acautelar os seus interesses numa altura em que a ponderação financeira ganha particular acuidade. Serão estes porventura os principais dados em equação, querendo acreditar que tudo se resolverá a contento das partes. Sem stress






Bookmark and Share