Ponto Vermelho
Desafinador do Apito-II
18 de Janeiro de 2015
Partilhar no Facebook

Por EagleView

Prossigo e concluo o artigo de ontem sobre este tema. Olhemos agora para os bastidores para observar a azáfama que decorre para a preparação de um jogo, neste caso para um importante Braga-Benfica. onde se observa a estratégia para a escolha prévia do árbitro e dos respectivos fiscais de linha.

Fase 1: Telefonema de Pinto de Sousa e Carlos Xistra. Um telefonema de Pinto de Sousa colocou Xistra no Braga-Benfica, que o Benfica viria a perder por 2-1. Durante um convívio, com algumas pessoas ligadas ao futebol foi-me passada a informação que Pinto de Sousa (ex-presidente do CA da Liga, condenado por corrupção) recebeu um telefonema do norte informando-o de que seria necessária a nomeação de Carlos Xistra para o jogo que iria opor SC Braga ao SL Benfica.

Teria que ser Xistra o nomeado juntamente com a dupla de fiscais de linha, pois a armadilha já estava preparada e devidamente alinhados com Xistra e restante equipa de arbitragem para que o Benfica não vencesse em Braga. A informação é de que foram tomadas as medidas necessárias e Pinto de Sousa através de telefonemas conseguiu que Carlos Xistra fosse nomeado para o jogo que viria a afastar o Benfica da luta pelo título de campeão. A verdade é que Pinto de Sousa apesar de afastado continua a ter poder no mundo da arbitragem e a mandar e decidir no que quer e deseja, não tivesse ele tido influência directa nesta e outras nomeações para jogos do FC Porto e Benfica.

Fase 2: Como Xistra foi escolhido… por exclusão de partes. Sim, é Vítor Pereira que oficialmente escolhe os árbitros. Não sabemos muito bem é quem o infuencia e quem "aconselhou" os outros 4 árbitros indigitados para a partida, mas que se declararem "indispostos" para arbitrar o Braga-Benfica. Quatro árbitros, todos ao mesmo tempo, declaram-se indispostos para arbitrar um único jogo? Ficando, como que por magia e por exclusão de partes, um único árbitro que podia ser escolhido, o Carlos Xistra! Que coincidência!!

Depois foi só escolher os assistentes. E como escolheram os fiscais de linha para este jogo? Foram escolhidos a dedo, vindos de duas regiões diferentes, um de Rio Tinto (Cardinali) o outro de Portalegre (Luís Tavares), mas com uma coisa importante em comum, ambos são adeptos ferrenhos do FC Porto. E o mais engraçado é que puseram a culpa no Benfica pelo facto dos outros 4 árbitros, que também estavam indigitados para este jogo, se terem recusado a arbitrar o jogo. Imaginem! Queixavam-se eles que era muita pressão e tal! É de facto preciso ter lata para se mentir tão descaradamente. Foi o único jogo em que árbitros se sentiram indispostos para arbitrar um jogo do Benfica!!! Em nenhum outro isso aconteceu. Porquê? Os telefonemas de Pinto de Sousa a preparar o caminho não foram inocentes em toda esta tramóia.

O s Fiscais de linha escolhidos a dedo. Cardinal, o "andrade" de Rio Tinto. Cardinal, que vive em Rio Tinto e que até vai para a rua buzinar quando os azuis e brancos ganham títulos da batota e que trabalha nos CTT no Porto, não fosse ele adepto ferrenho dos portistas, é que foi o culpado principal desta vergonha, é o mesmo que em Guimarães anulou um golo limpo ao Benfica e deixou passar em claro 2 pénalties. O engraçado é que este Cardinal é auxiliar de Olegário (Benquerença), por isso temos de perguntar: o que raio estava ele a fazer em Braga a auxiliar o (Carlos) Xistra? Pois é, já perceberam? É isto o futebol português, uma corrupta mentira pegada.

Para não falar no outro fiscal de linha, (Luís Tavares), notório "andrade" de Portalegre - o tal que não sancionou o golo de Petit que entrou 1 metro bem medido na baliza de Baía mas não contou - que deixou passar um claro off-side de um metro de Hulk no 2.º golo, aquele que nos matou definitivamente, pois JJ estava nesse momento a fazer uma substituição. Apesar de ter acertado em todos os off-sides do Benfica no 1.º tempo, alguns deles por meros centímetros. O tal que vai para o café com a camisola do seu clube vestida.

O interessante é que dois dias antes deste jogo fora feito um alerta nas redes sociais: "Alerta Geral antes de acontecer (Denúncia):
Caros benfiquistas:
A 24 horas do jogo com o Braga, venho desde já denunciar movimentações no sentido de criar um ambiente de provocação a todo o 'Staff' do Benfica (Jogadores, Treinadores e Dirigentes).
Para os bastidores do Estádio Axa estão a ser preparadas situações para provocar desacatos e um ambiente hostil e beligerante, fazendo depois passar para fora, que foi o Benfica que causou estas situações".


Sempre com a "mão de Antero Henrique por trás", essa estratégia começou a tornar-se visível nos jogos na Luz com o Nacional (Rui Alves, estão a ver?) e com o Marítimo, para o que contribuiram as arbitragens habilidosas, encomendadas. O plano era vir jogar ao nosso estádio não com 8, mas com 11 pontos. Os jogadores do nosso adversário correm atrás de um chorudo prémio da casa-mãe (tesoureiro-executivo Antero Henrique) e os treinadores de alguns géneros materialmente valiosos, além do mesmo prémio. Não é Antero? Sei perfeitamente o que estou a dizer. De facto, as previsões bateram todas certas, o Benfica perdeu por 2-1 com uma arbitragem permissiva do Carlos Xistra e dos assistentes Cardinal e Luís Tavares, sob um clima de terror como muito bem foi previsto no comentário feito 24 horas antes.

Carlos Xistra ao longo da sua carreira na 1.ª categoria arbitrou o FC Porto algumas vezes. Nos Barreiros fez em época consecutivas (03/4 e 04/05) o Marítimo-Porto. Na primeira ocasião assinalou erradamente uma grande penalidade que permitiu aos portistas um resultado de 2-2; depois validou um golo a Luís Fabiano, obtido em clara posição de fora-de-jogo, o que valeu o empate aos dragões (1-1). Posteriormente no Restelo, foi o único que não viu uma falta clara de Ricardo Costa sobre Lourenço na área portista. Apesar de tudo não perde a boa disposição… quando o FC Porto marca…
Tem sido assim Carlos Xistra e espero que hoje, para variar, tenha uma arbitragem isenta. O futebol e a verdade desportiva agradecem…

Bookmark and Share