Ponto Vermelho
Marinho Neves-Testemunhos-V
1 de Fevereiro de 2015
Partilhar no Facebook

Por EagleView

Com mais este complemento, conclui-se, assim, a série de artigos consagrados ao jornalista Marinho Neves (MN) e à sua cruzada na denúncia da corrupção no futebol português e no compadrio que tem abastardado inúmeras vezes a verdade desportiva. Fica pois claro que os tão apregoados 'méritos' enfatizados no passado e no presente por alguns, não passam de meras tentativas de branqueamento de verdades indiscutíveis. Terminemos portanto.

P: Falou nos árbitros. É possível, a um qualquer árbitro, chegar a internacional sem essa tal "bênção" do "sistema"?

MN: Nem pensar. O próprio Vítor Pereira sabe que só está naquele lugar porque tem uma grande flexibilidade de coluna. Quando não for assim acontece-lhe como aos outros. É despedido ou criam-lhe situações que o obriguem a demitir-se.

P: O que aconteceu a quem lutou contra isso? Que outros protagonistas do Futebol, para além do Marinho, foram afastadas da ribalta do futebol?

MN: Infelizmente não há muitos mais. Lembram-se do árbitro José Leirós? Denunciou uma tentativa de corrupção por parte do Braga. Nesse dia era pré-internacional e a quem todos apontavam como internacional, mas no final da época, acabou por ser despromovido para a 2.ª categoria e depois desistiu. Mas houve muitos mais, mesmo em termos de comunicação social. No programa "Donos da Bola" da SIC, tínhamos 52% de share, ou seja, o programa mais visto desta estação e de um dia para o outro acabaram com ele. Nós estávamos sempre à frente da polícia. A PJ tinha um plantão a ver o programa e com base nas nossas informações fazia buscas à segunda-feira. Nesse tempo o futebol tremeu, mas quem caiu fomos nós.

P: Sabemos que se tem dedicado a outras artes, com bastante sucesso até. Pensa ainda voltar a exercer a sua profissão, após ter sido um dos primeiros jornalistas de investigação desportiva ou será que esta nova geração de directores nas publicações continuam a não ter "tomates" para contrariar o poder?

MN: Para mim o jornalismo acabou, mas acabou porque eu quis. Os novos jornais não querem gente com coragem e integra. Querem moços de recados. Serviçais do poder. É como disse Sócrates: "Não me preocupo com jornalistas. Prefiro controlar os seus patrões." Hoje já não é uma questão de "tomates", mas sim de atitude. Se tens “tomates” não tens onde escrever. Eu mesmo tenho o 'Golpe de Estádio 2' já escrito há mais de 6 meses e quando se soube disso desapertaram-me as rodas do meu jeep. Também sei que a maior parte das editoras estão controladas, assim como livrarias, vejam o que aconteceu ao livro do Octávio. Alguém falou disso? Quase passou despercebido. É assim que o poder joga.

P: Por fim, gostaria de deixar alguma mensagem aos milhares de leitores "anónimos" que este e outros blogs de futebol congregam que repudiam a maior parte dos jornalistas pela falta de isenção inerente?

MN: Entendam melhor os jornalistas. Conheço muitos que gostariam de mostrar coragem, mas ela morre logo na marcação dos serviços.

********************************************************

«Conheço como ninguém Pinto da Costa. São 30 anos de estudo psicológico, misturado com convivência pessoal. O homem convenceu-se que é um Deus. Que toda a gente lhe deve obediência e quem o contrariar é vítima do seu espírito vingativo, chantagem emocional e perseguição profissional. Paulo Bento contrariou-o, fez-lhe frente e vai sofrer as consequências da sua atitude. A selecção é um negócio como qualquer outro e por isso nunca se esqueçam que Pinto da Costa tem várias sociedades com Jorge Mendes e a sua fortuna pessoal não vem do que ganha no clube, mas com o clube.» ('In', facebook).

Nota 1: Em 25 de março de 2013 - Paulo Bento ignora "postas de pescada" de Pinto da Costa. Seleccionador respondeu às críticas de Pinto da Costa, que questionara a utilização de João Moutinho no jogo em Israel: "Quem faz a equipa sou eu e mais ninguém".

«Pergunta inocente: Porquê neste momento as declarações do chefe do FC Porto? Será por isto

«O selecionador Paulo Bento deverá ser uma das testemunhas arroladas por Nuno Lobo, no caso da agressão de que diz ter sido vítima de Adelino Caldeira, 'Vice' do FC Porto, no jogo com o Estoril (2-2), na Amoreira, apurou o CM.»

Nota 2: «Não quero arranjar desculpas para nada, mas como já cá ando há muito tempo, posso recordar que uma das estratégias adoptadas, há anos atrás, quando pairava a ameaça de poder haver acordo de estratégias entre Benfica e Sporting, o "sistema" arranjava forma de nomear árbitros que beneficiassem o Benfica e prejudicassem o Sporting e dessa forma provocasse novo afastamento.» Marinho Neves no 'Facebook'.

2011 - Maio, Marinho Neves, 'In' Facebook, «Este fim de semana fui vítima de tentativa de homicídio. Desaparafusaram-me uma jante do meu 'jeep'. Como estou sempre atento ao que pode acontecer aos meus carros, detectei o crime e apresentei queixa na polícia. Foi feita uma peritagem à jante e aguardo resultados. Deixo aqui esta informação porque vos quero como testemunhas se me acontecer algum "acidente". Obg.»

«Felizmente tenho o número mínimo de inimigos mas serão talvez os mesmos que já me emboscaram à porta de casa, os mesmos que me perseguem na cidade onde moro quando saio à noite, os mesmos que já me drogaram por duas vezes num restaurante e que agora me tentaram matar. Querem calar-me porque sei demais e parece que desta vez para sempre, mas vou continuar na luta. O cântaro tantas vezes vai à fonte que um dia parte».


















Bookmark and Share