Ponto Vermelho
Curiosidades acerca do Rio Ave- FC Porto e não só só…
13 de Abril de 2015
Partilhar no Facebook

Por EagleView

Por uma questão de princípio não perfilho da mania da perseguição. Mas isso, contudo, não invalida que esteja sempre de sobreaviso, sobretudo porque sinto e entendo o meio, sou confrontado de forma permanente com rumores e fartos indícios que provam à saciedade que os mesmos princípios que conduziram às diversificadas diatribes que tiveram eco no ‘Apito Dourado’ não desapareceram como que por magia da sociedade portuguesa e em particular no futebol. Pudera, pois não será que muitos dos intérpretes se mantêm ainda à tona e com poderes suficientes para influenciar os bastidores de forma a tentar repetir as receitas que tantos cozinhados adulterados deram para determinada latitude?

O facto da contagem decrescente do campeonato já ter entrado em ritmo acelerado sem alterações de maior e que de forma nenhuma serve os interesses da rapaziada do costume fez soar o alarme para as bandas do Dragão, sendo que o nervosismo e a agitação têm vindo a crescer de tom em passo acelerado pois o panorama cada vez mais se apresenta sombrio. É por isso que decorre intensa movimentação a nível de bastidores tentando influenciar de forma inviezada aquilo que não tem sido conseguido dentro do campo em situações normais decorrentes do próprio jogo. Podem começar por isso a acontecer coisas estranhas que poderão ser meras coincidências mas que os mais avisados baseados na experiência de muitos anos desconfiam de que se trata de algo mais. Não se trata por isso de acusações infundadas mas de indícios e de constatações.

Como esta: O treinador do Rio Ave Pedro Martins, que estava muito agitado no jogo com o Benfica pois passou o desafio todo de pé e sempre em movimento, no jogo com o FC Porto deu indícios de estar calmíssimo pois esteve praticamente sempre sentado, provavelmente resignado por ter apanhado alguma 'gastroentrite', uma doença súbita e passageira que tem atacado com particular insistência os jogadores emprestados pelos portistas em vésperas de o defrontarem. No fim do jogo afirmou que o 3.º golo do FC Porto foi fruto de “uma perda de bola vergonhosa que não pode acontecer”. Concordo plenamente.

Mas afinal quem foi o herói? Exactamente Pedro Moreira, emprestado pelo FC Porto e que entrou a 15 minutos do fim para ajudar o seu clube do coração quando o Rio Ave tinha reduzido para 2-1 e, ainda de acordo com Pedro Martins, "estávamos mais perto do 2-2 do que do resultado final". Também concordo em absoluto. Mas não foi apenas isso, o jogo parecia mais um jogo de "solteiros e casados". Toda a gente o observou, parecendo antes tratar-se de um jogo em que a situação classificativa de ambas as equipas estava há muito definida.

Quem também o notou foram os jornalistas de um canal inglês que transmitiu o jogo e que notaram uma diferença abismal de atitude do Rio Ave entre o jogo que estavam a transmitir e o jogo com o Benfica uma semana antes: "This team (Rio Ave) is not the same that played against Benfica a few weeks back, they lack focus, desire, positive agression that showed against Benfica. One week is not enough for such dramatic change". Ora aqui está uma opinião interessante e insuspeita!

Numa outra vertente, procurei também vídeos motivacionais feitos pelo Rio Ave para motivar os seus jogadores para o jogo com o FC Porto como fizeram antes do jogo com o Benfica, assim como das promessas de triplicar os prémios em caso de vitória sobre o FC Porto feitas pelo presidente do clube. Mas, a despeito de ter vasculhado tudo não consegui encontrar rigorosamente nada. Será que não terei investigado bem? Mas não foi totalmente em vão a minha pesquisa, pois por outro lado, encontrei uma notícia que 'é refrescante' para o futebol português de que a INTERPOL está, finalmente, a investigar em Portugal a viciação de resultados.

Sob o título, "Viciação de Resultados. Interpol investiga jogos da Liga portuguesa", o cerco dá indícios claros de parecer querer apertar-se. Vida cada vez mais difícil para o FC Porto e para os seus hábitos corruptos e imorais. "A Interpol, Organização Internacional de Polícia Criminal, está atenta aos jogos das ligas profissionais portuguesas e já pediu informações sobre algumas partidas, devido a suspeitas de viciação de resultados, apurou o 'C.M.'. Além das apostas, esta organização está também a recolher informações sobre o pagamento de prémios a jogadores de outros clubes para ganharem a terceiros. Isto numa altura em que a Liga está ao rubro, com o Benfica a liderar com três pontos de vantagem sobre o FC Porto, com o clássico decisivo a disputar-se dia 26."

A semana finda foi pródiga em notícias que levaram à denúncia de várias anomalias no campeonato da 2.ª Liga que ficam pendentes de uma investigação profunda que confirme ou desminta as situações denunciadas no campeonato da 2.ª Liga e dos rumores acerca da 1.ª. A fazer fé naquela notícia e caso se concretize o anunciado, depois disto falta também que a Liga de Clubes, entre muitas outras coisas, comece a fazer respeitar as leis que ela própria criou e a enviar médicos aos clubes e a casa dos jogadores do FC Porto emprestados a outros clubes mas que adoecem de repente. Para além dos que são desconvocados ficando assim impedidos de jogar contra o clube empregador. Uma situação que carece de rápida clarificação por forma a evitar este tipo de despautérios.




Bookmark and Share