Ponto Vermelho
O ‘jogo do título'
1 de Maio de 2015
Partilhar no Facebook

1. Comungamos da opinião dos muitos que entendem que o jogo do Benfica amanhã em Barcelos com o Gil Vicente pode ser absolutamente determinante na conquista do bi-campeonato. De facto, faltando quatro jornadas para o fim da maratona, as duas saídas (por coincidência ao Minho onde os encarnados esta época não têm sido nada felizes) são vitais, sem que isso queira significar menos atenção ou menor menosprezo pelas recepções a Penafiel e Marítimo para levar o barco a bom porto, tendo em consideração que apenas 3 pontos poderão, no máximo, ser desperdiçados. Isto partindo do princípio que o nosso principal perseguidor conquista 100% de vitórias até à 34.ª jornada inclusivé.

2. Quase nunca a história se repete e, sem enveredarmos por euforias exageradas que poderiam vir a revelar-se prejudiciais como não se cansam de repetir tendo no horizonte passado a sempre presente lembrança do que aconteceu de negativo com a meta à vista, mantemos a convicção de que a experiência e o saber são fulcrais para que os eventuais excessos de auto-convencimento então cometidos não se voltem a repitir. Seria psicologicamente frustrante para os jogadores, estrutura e para a grande massa adepta serem confrontados com um novo fracasso quando a equipa dispõe neste momento de condições para um jogo sólido e repleto de ases de trunfo para jogar na altura exacta. Este é o momento.

3. Quaisquer sentimentos ou avaliações negativas deverão ser de pronto afastados, e o único pensamento que deve prevalecer é o da confiança, aliado à concentração e à determinação que deverão ser a pedra de toque para enfrentar as adversidades que, ninguém tenha a menor dúvida, irão surgir pelo caminho já no próximo Sábado. As estatísticas dão como dado adquirido que nas últimas três deslocações aos gilistas o Benfica acabou por empatar em duas, o que só por si é sinónimo das dificuldades que têm sido encontradas. Para além de que, os galos estão em posição desesperada na tabela, precisam de pontos, e o Benfica é sempre um factor de motivação extra para que lutem até à exaustão na procura de conseguir quaisquer pontos que sejam, até porque logo a seguir têm o Dragão como destino.

4. Estamos na altura em que a contagem decrescente acelera e tal como em situações anteriores começam a circular os rumores e os ditos sobre alegadas manobras de bastidores para dificultar ainda mais a tarefa já de si complicada dos encarnados. O simples facto de serem atirados para o ar dá origem de forma quase automática a que as atenções tendem a ser desviadas, mesmo que se trate de puras invenções com o único intuito de desestabilizar. Mas desde logo o objectivo fica conseguido, ainda que numa estrutura profissionalizada e competente como é actualmente a do Benfica, essas tentativas sejam encaradas com atenção e prudência mas com algum distanciamento. Os resquícios do passado exigem que assim seja.

5. Tentar introduzir nuances para reduzir as desigualdades desde que legais são legítimas, e certamente os responsáveis do Gil Vicente estarão atentos a esse pormenor. A questão da relva mais alta e empapada de forma a que a bola circule com menos velocidade e obrigue a uma maior luta física é um dos factores normalmente utilizado, pois reduz a capacidade das equipas de maior valia cujos jogadores dispõem de maiores recursos técnicos, obrigando a um maior índice de choques e faltas que reduzem a fluência e o tempo útil de jogo. Se calhar não vamos ficar por aqui pois ainda vai constar que os gilistas vão ter um prémio- extra se conseguirem os objectivos de encalhar o Benfica.

6. É este cenário ou similar que não é de modo nenhum inédito que a equipa do Benfica vai enfrentar, restando-lhe a alternativa de, desde o início, impôr o seu jogo, correr mais do que o adversário, e ser determinante de princípio ao fim evitando quebras de concentração que por norma dão sempre mau resultado. Tentar construir cedo um resultado que lhe garanta alguma tranquilidade e a ponha a salvo de dissabores de última hora como esporadicamente aconteceu, deverá ser o seu objectivo prioritário, com a convicção firme de que o jogo poderá ser decisivo nas contas definitivas do título. Tudo o resto acabam por ser minudências que só ajudam a distrair e quebrar a concentração necessária mais do que nunca…








Bookmark and Share