Ponto Vermelho
Feitiço contra o feiteiceiro?
26 de Junho de 2015
Partilhar no Facebook

1. Por ser um processo enviezado na linha daquilo a que a personalidade do presidente do Sporting conduz, a intenção de despedir o treinador Marco Silva depois de ter sido assinado um contrato de longo duração, começou a ser germinada em Dezembro escasso meio-ano após a sua entrada em funções, dado que Bruno de Carvalho para além de se julgar no direito de opinar sobre tudo até na área técnica, não gosta nem tolera que ninguém o contrarie, sendo que o teste definitivo virá já a seguir... Na altura, os escritos hilariantes de um dos comandos por si designados – o famoso Zé dos Tachos –, faziam prever o seu afastamento a curtíssimo prazo. Contudo, a pronta reacção dos adeptos leoninos em defesa do treinador levou a que essa tentativa se tivesse gorado naquele momento, mas não em termos definitivos. A retirada estratégica e o regresso em força do processo ficou agendado para o final de época fossem quais fossem os resultados alcançados.

2. Como o destino estava traçado, o simples facto de o Sporting voltar conquistar um título passados 8 anos foi apenas um pormenor irrelevante e sem qualquer influência na decisão irreversível tomada há já longo tempo. Todas as consequências daí derivadas eram facilmente ultrapassáveis, porquanto a enorme visão estratégica de Bruno de Carvalho aconselhado a propósito pelos sábios e pela chusma de yes-men que o rodeia, tinha soluções para todos os problemas aproximando-se de um macro-cenário de resolução rápida e fácil com um simples estalar de dedos.

3. Para o efeito, foram utilizadas velhas técnicas de guerrilha mas imberbes na ponderação, na medida em que a natural reacção do visado foi antecipadamente desvalorizada. Para isso foi sendo progressivamente alinhavado um extenso rambório de mais de 400 páginas com alegações e pseudo-justificações para um despedimento com justa causa a que até as pedras da calçada não resistiram a sorrir baixinho ainda que com um sorriso triste e envergonhado. A serem verdade as justificações que transitaram para a imprensa, estamos conversados sobre a bondade das alegações leoninas. O resto não passou de mera chincana para papalvo ver, que envergonha todos os sportinguistas que não se revêem neste tipo de actuações que deixam muito a desejar.

4. O Sporting anunciou o despedimento de Marco Silva logo após este ter conquistado o único título de há muito tempo a esta parte, o que desde logo impedia o treinador de tratar da sua vida profissional futura enquanto o processo não fosse concluído. Por mútuo acordo ou então, se tal não acontecesse, dirimido nos tribunais. Nesse enquadramento de dúvida, a chance Benfica que alguns tentaram impingir cedo caiu por base. Não porque não houvesse mérito, mas porque a decisão pensada e amadurecida não o contemplava mesmo até que eventuais impedimentos legais não existissem. Surgiu entretanto a hipótese de Marco Silva ir treinar o Olympiacos que numa primeira fase caiu por terra porquanto, até provas em contrário, MS não se desvinculou do Sporting. O que não deixou de ser relevante para o jovem treinador que assim ficou impedido de prosseguir a sua actividade.

5. Para esbater esse eco altamente perverso, BC engendrou algo de grandioso e nesse sentido contratou Jorge Jesus borrifando-se assim para a austeridade e rigor orçamental cujas bandeiras tinha agitado como um campeão. Mas, sendo certo que a partir da próxima Quarta-Feira pode assinar com o novo treinador, não pode no entanto inscrevê-lo dado que o dossier Marco Silva continua pendente e por resolver. Daí que estejamos a assistir a um forcing por parte de BC para arrumar de vez este processo ínvio tentando o acordo com o seu quase ex-treinador mas querendo impôr a ideia bizarra de que em Portugal, nos clubes grandes, só no Sporting. Isto depois de instaurado um processo de despedimento…

6. É evidente que MS não poderia aceitar essa limitação, pelo que neste momento o processo está numa encruzilhada. Mas o tempo urge e BC está agora dependente do grau de abertura e da flexibilidade que MS demonstre, na convicção plena que se tivesse acontecido uma maior ponderação por parte de BC o assunto certamente caminharia para uma resolução a contento das partes que assim já tinham ficado com o caminho desbravado para avançar no caminho pretendido. Até porque, para além disso, seria de todo o interesse do Sporting arrumar de vez este assunto porquanto outros estão pendentes na fila a começar pela AG de Domingo que muito promete. Longos e penosos dias de verão aguardam os adeptos sportinguistas…








Bookmark and Share