Ponto Vermelho
Expectativas ultrapassadas (nos dois sentidos)!
27 de Outubro de 2015
Partilhar no Facebook

A intensa campanha de promoção do derby altamente mediatizada nas semanas que o antecederam, fez uma pausa mal começou o jogo. Compreende-se: estava feito o trabalho de sapa de conspurcação do ambiente pelos mais proeminentes vizinhos da 2.ª Circular Norte e respectivas extensões com uma estratégia que por ser repugnante apenas concedeu incentivos (e proventos) à comunicação social abjectamente designada de pasquins (de toda a espécie), onde se incluem os convidados, fazendo com que aqueles (profissionais e não só) que têm uma visão mais rigorosa, equilibrada, de bom senso e não seguidista, ficassem a pregar no deserto…

A tal ponto que valeu de tudo mesmo o mais inconcebível. Até declarações devidamente retocadas e já propagandeadas na temporada passada por um ex-árbitro ressabiado vieram à baila, naquilo que aos olhos de qualquer pessoa que acompanhe minimamente a evolução dos acontecimentos se perfilou, de forma clara, como pedido de alguém que tenha contactos e amigos no país vizinho, porquanto não vislumbramos que a sua imprensa que nunca ligou peva ao que se passa do lado de cá da fronteira, de repente, em vésperas de um derby portuga, se interessasse pelo que tinha a repetir (???!!!) um ex-árbitro português que sempre navegou nos caminhos da obscuridade. E, sobretudo, da forma como foi dado à estampa em Espanha e replicado pela imprensa lusa.

Na sanha incontrolável de atingirem o Benfica porque para eles é impensável a conquista do tri-campeonato, não se dão conta do mal que estão a fazer à imagem e à credibilidade do futebol português. E também à arbitragem, como se não bastassem já os problemas crónicos de que a mesma tem vindo a padecer nas últimas décadas porque, se quase todos entendem as declarações ridículas de um ex-árbitro que alguns querem empurrar para o protagonismo, não é menos certo que está a pôr em causa os seus colegas e a arbitragem em geral na tentativa óbvia de atingir Vítor Pereira e, de caminho, o Benfica. Uma tentativa de matar dois coelhos com uma cajadada. Estamos por isso curiosos pelas provas que o ex-árbitro Ferreira tem para apresentar em tribunal quando for chamado a depor. Só se for algum colinho

As consequências e o resultado do derby parecem ter sido, ao olhos dos observadores encartados, uma legitimação da estratégia. Tal como aconteceu com a ascensão ao poder de Pinto da Costa há três décadas atrás, também agora há a tentativa de promoção de um caudillo júnior que apesar de tentar atropelar tudo e todos com métodos passadistas adaptados aos tempos modernos é, no entender de alguns seguidistas e de outros que aproveitam a boleia e zelam pelos seus próprios interesses, uma lufada de ar fresco e de irreverência. Tudo, é claro, a bem da verdade e da transparência no futebol português… De tal forma que, no entender de alguns, se o vídeo-árbitro já tivesse sido adoptado, teria sido assinalado um penalty sobre Luisão logo na madrugada do jogo… Os tempos são outros…

Sendo que a algazarra provocada faz com que os cães continuem a ladrar furiosamente enquanto a caravana segue o seu caminho, não serão vozes comprometidas e com nula credibilidade que farão com que haja desvios do essencial. A seu tempo as coisas voltarão a entrar nos eixos (se em futebol alguma vez se pode dizer isso de forma definitiva, bastando olhar para o Chelsea de Mourinho para perceber isso…), com a estabilização de um percurso que não começou sob os melhores auspícios. Até lá há que ter o bom senso e a tranquilidade de não enveredar de forma brusca por caminhos alternativos porventura mais aconselháveis politicamente mas que só complicariam a situação. Mais do que apontar erros que estejam a ressaltar, é preciso avaliar as diversas componentes e corrigir, no tempo devido, a trajectória.

Até lá, percebendo que os estados de espírito influenciam as avaliações e decisões, a ponderação, mais do que necessária, passa a ser obrigatória face às críticas impiedosas que, dos vários quadrantes até internos, se estão a abater sobre a estrutura no seu conjunto. No derby o Sporting foi o inquestionável vencedor e nem os disparates arbitrais puseram isso em causa, porquanto o Benfica, à excepção dos primeiros 8 minutos não esteve em campo. Mas não deixou de ser hilariante a análise que os paladinos da verdade desportiva fizeram aos 2 lances de penalty… Quanto ao treinador do Benfica deverá reflectir sobre algumas das suas declarações pois desde pequeninos que ouvimos dizer que não se pode (nem deve) discutir com gente que não hesita em baixar o nível para ganhar vantagem. Mesmo que se ganhe no excesso de verbalismo, na prática fica-se sempre a perder. Mas é preciso nunca dar o flanco…








Bookmark and Share