Ponto Vermelho
Sucessos contraditados por gente menor…
19 de Novembro de 2015
Partilhar no Facebook

1. Num momento em que a sucessão de acontecimentos que teve lugar em Paris e se estendeu a várias latitudes embora (felizmente) com diferentes implicações materiais e humanas, não faz grande sentido que se fale do que quer que seja para além disso muito embora exista a forte tentação de o fazer, sobretudo para alimentar parte da clientela acéfala que não consegue enxergar mais do que as tervergisações propaladas nos meios de comunicação social como verdades absolutas. Afinal, não deixando de reconhecer a importância dos media no panorama do Mundo actual que é assaz indiscutível, temos que convir que incumbe a cada cidadão que pretenda rigor de análise, procurar outras fontes que o possam confirmar, ou exercer o desmentido ou o contraditório.

2. E no entanto, como a actualidade não pára um só instante, existem e vão suceder sempre outros eventos que justificam a atenção pelo seu impacto e importância, atendendo a que o Mundo gira sem cessar e novos acontecimentos tendem a gerar por norma situações quiçá mais limitadas mas paradoxalmente mais apelativas, dado que o tempo de antena é limitado e bastante dispendioso. Importa pois sublinhar e enaltecer antes que a espuma do tempo dilua o impacto, a extraordinária campanha dos pupilos de Rui Jorge nos Sub-21, não tanto pelos resultados obtidos (o que por si só justificaria os maiores encómios), mas sobretudo pela capacidade de tornar fácil o que (aparentemente) se afigurava como problemático e muito difícil.

3. Contar por vitórias os 5 jogos disputados no apuramento para o Europeu de 2017 com um score impressionante de 19-1 e manter o almejado palmarés de equipa que não perde em jogos oficiais desde 2011 desde que foi derrotada pela Rússia por um tangencial 2-1, é um trajecto que não pode deixar indiferentes os observadores e os amantes do futebol, até mesmo aqueles que apenas só parecem saber lidar com a quase exclusividade das opções clubistas vividas de forma atribiliária e fanática não deixando a espaço ao que quer que seja. O momento é demasiado sublime para poder ser menorizado, até porque o trajecto da equipa tem sido consistente e evolutivo em que os resultados alcançados são uma consequência natural do trabalho consistente realizado e dos talentos que felizmente têm despontado.

4. Nenhuma dúvida sobre a variedade de matéria-prima que tem surgido nos últimos anos nem sobre a harmonização da equipa que parece disfrutar do talento inato de vários elementos que privilegia o colectivo em detrimento do individual para atacar as estratégias dos sucessivos adversários que tem enfrentado, fazem-nos crer que somos fortíssimos à conquista do próximo campeonato, ao mesmo tempo que se abre a porta para podermos pensar que o futuro próximo da principal Selecção está assegurado pelos tempos que aí vêm, oxalá os jovens protagonistas possam garantir que não sofrerão retrocessos em todo o seu processo evolutivo. Parece assim afastado o cenário que tantos temiam de que o futuro da Selecção principal estava hipotecado.

5. Enquanto os Sub-21 continuavam a fazer história desta vez em Israel, a Selecção principal disputava mais um particular no Luxemburgo com novos protagonistas que aspiram a ser opções definitivas a breve trecho, até porque convém manter em aberto a candidatura para o próximo ano em França. Resultado e exibições normais perante o tradicional banho de emigrantes que nunca perdem o ensejo de ver ao vivo o seleccionado português sejam quais forem os jogadores que o componham. Não se percebe (porque não é de facto para perceber!) por isso a razão que levou essa folha desinformativa intitulada "Dragões Diário" a criticar as opções do Seleccionador Fernando Santos, secundado por alguns pontas-de-lança leoninos. No primeiro caso deve ser, por certo, pelo receio que infunde o modesto Angrense, porque no segundo é sempre a inveja e o eterno complexo de inferioridade. Ele há cada uma…










Bookmark and Share