Ponto Vermelho
Derby sempre igual, sempre diferente…
7 de Março de 2016
Partilhar no Facebook

1. O fim de semana foi inapelavelmente marcado pelo derby Sporting-Benfica . É assim desde sempre e, de forma bem provável, sê-lo-á para todo o sempre. Pelo menos enquanto existirem os dois clubes. Uma rivalidade saudável entremeada aqui e ali por adeptos fanáticos travestidos de dirigentes que pretendem transformar uma disputa saudável de tantas décadas numa guerra sem quartel. É neste momento o caso e em face disso, tememos pelo Sporting porque se não for coerente, forte e sustentável, a rivalidade tende a esmorecer e o Benfica necessita sempre de uma concorrência à altura para o obrigar ser sempre mais forte e competitivo.

2. Queremos acreditar que esta nova face do histórico Clube de Alvalade é apenas passageira e que o bom senso e a realidade seja assimilados antes que descambe e a sua recuperação se torne complicada. Com efeito, a nuvem de poeira que teima em permanecer sobre Alvalade e não dá mostras de se querer desfazer apesar dos fortes ventos, devia ser uma preocupação permanente para todos os sportinguistas sensíveis e amantes do Clube. Todavia, parece haver cada vez mais uma certa anestesia que os paralisa, o que não deixa de ser estranho se tivermos em conta os resultados globais dos últimos (longos) anos. Não rejubilamos com isso até porque os benfiquistas não se pautam pelo mal dos outros, ao contrário daquilo que tem sido lei no clube dos Viscondes e que se parece acentuar a cada dia que passa.

3. Este intróito serve de preâmbulo a mais um jogo entre os eternos rivais e que tanto agitou os adeptos, a opinião pública e, sobretudo, uma grande parte dos media. Que aí vislumbraram uma excelente oportunidade de enfatizar e promover os aspectos mais lateralizantes e que por isso passam a ocupar a mente dos adeptos mais fanáticos que concedem atenções mais amplas à especulação e às coscuvilhices, em vez de enfatizarem a competição em si, a prestação dos jogadores ou a destreza táctica dos treinadores. Que não as tiradas inóquas debitadas em conferências antes e após os jogos, porquanto as questões formuladas pelos repórteres são sempre esteriotipadas por mais que se esforcem por fazer passar novidades e fazer valer a sua capacidade de improvisação…

4. Face aos decalques e às constantes sujeições a matérias já exaustivamente escalpelizadas, é certo e sabido que essas prestações acabam por se banalizar em função das questões levantadas que acabam por ser sempre as mesmas que afectam mais, como é óbvio, as pessoas com vocabulário e sintaxe mais limitada. Aliás, Bagão Félix com a sua habitual ponderação e sagacidade escapelizou há pouco tempo com particular acuidade esta matéria. Andar, desde o princípio da época, a questionar o porquê da letargia de Jonas e as razões de inaptidão do Benfica para os derbies e clássicos acaba por ser algo entediante, perante um facto que sendo real, não é limitativo dos macro objectivos. Numa prova de regularidade como é o campeonato, qualquer jogo vale três pontos aparte o adversário que cada clube tiver pela frente. E esse é o único dado realmente factual. As estatísticas valem o que valem e não decidem este ou aquele momento…

5. Posto isto, o derby decorreu, mais uma vez, dentro de altíssima competitividade, com o Benfica a fazer juz à sua condição de bicampeão, colocando em campo toda a raça e competência técnica-táctica. Desta vez, aparte erros e equívocos arbitrais sempre normais em todos os jogos mais difíceis de dirigir, não se pode assacar à equipa de arbitragem influência no resultado. Assim sendo saliente-se a vitória encarnada com alguma dose de fortuna, que permitiu ao Benfica isolar-se no topo a 9 jornadas do fim, quebrando uma série de derrotas consecutivas com os rivais que já trazia preocupada muita gente precipitada. Mas com humildade, entrega e perseverança, a história pode vir a contrariar por completo esses maus augúrios. Por último, estava escrito que a 25.ª jornada seria altamente favorável aos desígnios do Benfica: o FC Porto também baqueou em Braga e complicou, e de que maneira, as suas aspirações à vitória final. Mas atenção: isto ainda não acabou!










Bookmark and Share